Sábado, 18 de Novembro de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

3ª das Festas do Barrete Verde - Alcochete 11 de Agosto 2009

João Telles Jr. grande triunfo com o lote de Fernandes de Castro
13 de Agosto de 2009 - 16:58h Crónica por: - Fonte: - Visto: 1315
3ª das Festas do Barrete Verde - Alcochete 11 de Agosto 2009 A I Grande Corrida do Jornal de Alcochete, inserida nas Festas do Barrete Verde registou cerca de 2/3 de entradas numa noite com tudo para a excelência mas á qual faltou a bravura dos toiros apresentados pela ganadaria de Fernandes de Castro.

RUI FERNANDES

1º Toiro (2 compridos e 5 curtos)

Andou o cavaleiro muito ao seu estilo nesta primeira lide, em que depois de uma cravagem comprida à tira se presta às cravagens em quiebro ao estilo emotivo do cavaleiro.
Foram bem desenhados os quatro ferros curtos que deixou mas terminou com menor alcance ao cravar também nesta sorte o último ferro - a pedido do público, só depois de várias passagens em falso.

4º Toiro - 570kg, Negro (2 compridos e 5 curtos)

Sem muita ortodoxia, Rui Fernandes levou a efeito na ferragem comprida duas tiras com o cavalo a sair cedo demais da reunião.
Na ferragem curta, andando mais aproximado do seu estilo não logrou chegar ao público com o impacto que desejaria. Depois de dois ferros em sorte carregada ao píton contrário em que não foram bem medidos os terrenos, subiu o tom, ladeando em tábuas e recortando-se para repetir a mesma sorte em mais três ferro, um recebendo, outro a dois tempos e um terceiro de excelente execução que, esse sim, alegrou o público.
Termina negando-se a deixar "mais um" para sair em bom plano.

VITOR RIBEIRO

2º Toiro - 555kg Negro (2 compridos e 4 curtos)

Depois de uma bonita brega dos médios às tábuas o toiro resignou-se e pouco emprestou de emoção à lide de Vitor Ribeiro.
Para a ferragem comprida, o cavaleiro optou pela sorte frontal no 1º, e, à tira no 2º, os quais resultaram a dois tempos e de boa execução.
Os dois primeiros ferros curtos copiaram a boa execução dos anteriores resultando bonitos pelo desenho em sorte de caras e bonitos remates. A partir daqui a lide veio a menos já falhou a cravagem do 3º ferro e quando a executou em sorte frontal recebeu um sonoro toque à garupa. Também o 4º ferro foi desbotado pela cravagem a cavalo passado em sorte à tira.
Termina com um 5º ferro de boa cotação, frontal e ao estribo.

5º Toiro - 560kg Negro (2 compridos e 5 curtos)

Não executando com muita correcção a colocação dos dois ferros compridos, que resultaram um descaído e outro traseiro, Vitor Ribeiro empenhou-se para deixar uma boa imagem em terras do sal.
Assim, trocada a montada para a ferragem curta, mostrou a correcção do seu toureio com sortes frontais reunindo com verdade e quase sempre rematando diligentemente.
Apesar disto e mercê da escassez de bravura do toiro, não alcançou uma prestação que ficasse na retina.

JOÃO TELLES JR.

3º Toiro - 560kg Negro (3 compridos e 5 curtos)

Depois de uma brega bem conseguida o jovem ginete, não perdeu muito tempo para a cravagem de um primeiro ferro comprido à meia volta e outros dois à tira frontal.
No início da ferragem curta já o exemplar se quedava em tábuas exigindo labor, pelo que depois de dois excelentes ferros frontais de alto a baixo ao estribo, havia que empregar todos os meios para conseguir a lide de excelência que se exibiu. Um 3º curto ensesgado mas de bom efeito e mais dois ferros frontais cheios de alma encerram assim a primeira lide em bom plano.

6º Toiro - 553kg Negro (2 compidos, 5 curtos, palmo e par)

Com vontade de dar sequência ao brilho que deixou na primeira lide, João Telles Jr - Ginja, como é conhecido, foi esperar aos curros o último da noite.
Dali emprega-se a dar brega ao toiro e crava depois em sorte à tira os dois compridos que resultaram a cilhas passadas.
Porém, é logo ao 1º curto que recebe música pela excelente cravagem em terrenos cambiados que repete em seguida. O 3º e 4º ferros foram colocados em sorte de caras a dois tempos e fizeram-se seguir da que já vem sendo imagem de marca do cavaleiro: a bandarilha seguida à meia volta do palmo. Como não o deixassem sair e embora já com o toiro quebrado, deixa um par aos médios que o público aplaude de pé, com certeza pelo conjunto.

GFA BARRETE VERDE ALCOCHETE

1º Toiro - João Cabrita - 3ª Tentativa

1ª Tentativa
Apesar de haver recuado e carregado a sorte o toiro não humilhou, batendo antes no peito do forcado que apesar de fechado lhe perde a cara. O grupo reune e o director dá a pega por consumada mas o cabo manda, e muito bem, a repetição.

2ª Tentativa
Mandando na investida não consegue recuar o suficiente para conseguir fechar-se em momento de reunião pelo que é desfeiteado pelo derrote por alto.

3ª Tentativa
Desta feita o toiro derrotou forte mas o forcado fecha com querer, apesar de ainda haver perdido a cara ao toiro mantem-se fechado o próprio que lá se consegue recompor, consumando


3º Toiro - João Salvação - 1ª Tentativa

A investida não é de todo franca mas o cabo corrige-a mandando ao recuar para consumar a pega à barbela sem dificuldades.

5º Toiro - André Bento - 1ª Tentativa

Cita com calma e carrega com correcção a investida. Apesar de deixar ligeiramente adiantados os joelhos suporta com bastante eficácia a viagem por baixo do exemplar com o grupo a reunir prontamente. O rabejador atrasou-se bastante na sua função, apesar de não ter prejudicado com isso a pega já que a investida não foi muito longa.

GF AMADORES DE CORUCHE (debutou na praça de toiros de Alcochete)

2º Toiro - António Macedo - 3ª Tentativa

1ª Tentativa
A investida é pronta e franca mas o forcado escorrega ao recuar e com isso prejudicou a reunião acabando desfeiteado depois se segurar apenas a um píton.

2ª Tentativa
Recuando a mandar não tem consegue chegar ao momento da reunião e recebe o toiro no peito, sem possibilidade de lhe ficar na cara.

3ª Tentativa
António Macedo consuma então à terceira uma boa pega à córnea, em que o toiro se desvia do grupo sem derrotar.

4º Toiro - Nuno Feijoca - 3ª Tentativa

1ª Tentativa
O toiro sai solto e o forcado recebe com os joelhos já que pouco tempo teve para recuar, sendo por isso desfeiteado.

2ª Tentativa
Nesta tentativa recua bastante para se fechar à córnea mas, faltando-lhe uma pronta primeira ajuda acaba por escorregar da cara.

3ª Tentativa
Fechando desta feita à barbela recebe o toiro com muita eficiência e é bem ajudado por todo o grupo. O rabejador esteve muito elegante a rematar a sorte junto a tábuas saíndo com correcção aos médios.


6º Toiro - Amorim Ribeiro Lopes - 1ª Tentativa

Com uma segurança desmedida vai sacar a investida do toiro para se fechar sem dificuldade à córnea consumando assim, sem dificuldade à primeira tentativa com uma boa primeira ajuda lateral. Novamente se destaca a elegância do remate pelo rabejador.
Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.