Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

4ª Corrida das Festas do Barrete Verde de Alcochete - 13 de Agosto de 2009

João Salgueiro e Carlos Neves do Aposento do Barrete Verde, foram os grandes triunfadores
17 de Agosto de 2009 - 15:20h Crónica por: - Fonte: - Visto: 1721
4ª Corrida das Festas do Barrete Verde de Alcochete - 13 de Agosto de 2009 A casa encheu até à bandeira para assistir à última das Festas do Barrete Verde, que decorreu em ambiente ameno numa noite de um calor agradável.

O primeiro toiro sai à teia com uma lesão num dos membros posteriores pelo que João Moura começou por lidar, em primeiro lugar, o segundo toiro que lhe coube em sorteio.

João Moura

1º Toiro - 540kg (2 compridos e 6 curtos)
Considerando suficientes os dois ferros compridos, que cravou à tira, cedo começou o seu verdadeiro toureio na ferragem curta com o extraordinário Merlin.
Com esta montada, entre ladeares aos médios e tábuas, cravou dois ferros ao sesgo que rematou mostrando o peito do cavalo e, de seguida, outro em sorte carregada ao píton contrário com o qual aumenta o timbre da sua lide.
Dali, e no mesmo tom, cravou mais dois curtos em sorte frontal rematados à pirueta e a final, um excelente palmo, com o toiro a pôr a cara alta.

2º Toiro - Engº Samuel Lupi - 500kg (e compridos e 6 curtos)
Este escudero, que saiu à praça com muita pata e humilhando bastante ao capote, não permitiu ao cavaleiro o mesmo sucesso da lide anterior.
Na ferragem comprida cravou dois à tira, com especial relevo para o 2º (de praça a praça).
Nos curtos optou por começar em sortes frontais quarteando com muito temple mas, como as características do exemplar pediam uma lide diferente, optou por cravar em sortes à tira, que apesar de correctas não auguraram o mesmo impacto da sua primeira lide.

JOÃO SALGUEIRO

2º Toiro - 490kg
Colocando o tricórnio no lugar onde costumadamente se sentava o saudoso Balé e brindando ao céu, Salgueiro começa a lide com uma bonita ovação.
O toiro, que se adiantava um pouco na investida mas que ainda assim cumpriu com arremetidas irregulares, foi lidado com a cravagem de dois compridos à tira frontal e cinco curtos , dos quais se destacaram o 3º e 4º frontais rematados com piruetas.

5º Toiro - Engº Samuel Lupi - 560kg (2 compridos e 7 curtos)
Cumprida a ferragem comprida com eficácia e correctos remates aos médios, e com um toiro cujo voluntarismo assim o permitia, Salgueiro encetou uma lide que se soma à senda de sucessos desta temporada.
Cravou os dois primeiros curtos ao sesgo, rematados em recorte por terrenos de dentro e, entre bregas ladeando: um de caras bem ao estribo; outro à tira pleno de temple e outros 3, ao quiebro e recebendo, depois da famosa paradinha, que faz vibrar a bancada.

MANUEL LUPI

3º Toiro - (2 compridos, 3 curtos e 1 palmo)
Ambos os ferros compridos, cravados em sortes frontais e com cites de praça a praça lograram excelente efeito, contudo o som com que saiu este exemplar de Rio Frio depressa escasseou. Assim, apesar do visível esforço, a ferragem curta não teve o mesmo efeito da primeira ferragem.
Cravou o 1º e 2º ferros em sortes frontais, com remates alegres e um 3º em terrenos de querença para terminar com um palmo à tira acometendo em altura certa.

6º Toiro - Engº Samuel Lupi (2 compridos e 6 curtos)
Apesar de bonita a brega com que recebeu este último oponente, foi ligeiramente desluzida dois toques à garupa. Ainda assim, resultaram de bom efeito os dois compridos que deixou - o 1º por ter sido de praça a praça e 2º a dois tempos.
Lupi conseguiu deixar três ferros de boa nota de caras e ao estribo (2º, 3º e 4º) e duas tiras - a cilhas passadas e por isso de menor efeito, dando pouco terreno ao exemplar que também procurava tábuas e investia aos arreões.

GFA APOSENTO DA MOITA

1º Toiro - Diogo Gomes - 2ª Tentativa

Com as ajudas muito largas, a pega prometia excelente efeito. Contudo, o forcado acaba por escorregar já que o toiro não levanta a cara depois de armar o derrote.
À segunda tentativa, recua muito para obter reunião e fechando à córnea fecha com decisão recebendo uma boa primeira ajuda.

2º Toiro - Tiago Ribeiro - 1ª Tentativa

Assim que pressente uma investida que seria solta, o cabo carrega a sorte e recua - obtendo uma reunião em técnica perfeita à barbela. Suportando uma viagem "por baixo", o grupo reúne decidido e a pega é consumada com eficácia, apesar do atraso do rabejador que no remate sai também pelas costas do exemplar.

6º Toiro - Nuno Carvalho - 1ª Tentativa

Tendo estado muito correcto a recuar, recebe flectindo-se com técnica perfeita para concretizar a pega à barbela. Recebeu uma boa 1ª ajuda e restante grupo.

GFAA BARRETE VERDE DE ALCOCHETE

3º Toiro - João Salvação / Rui Gomes - 2ª Tentativa

Nesta tentativa, mais uma vez o toiro mete a cara por baixo mas João Salvação resultou seriamente lesionado - infelizmente, mais uma vez por uma evitável bandarilha, que lhe deslocou o globo ocular e desfez os ossos e músculos da cavidade orbital e crânio, resultando em mais de 7 horas de intervenção cirúrgica que desejamos - permita uma recuperação rápida e a 100%!!
Dobrando o cabo, Rui Gomes executa um cite de muito impacto para recuar com muita segurança e se fechar à córnea, recebendo boas ajudas do grupo mas acabando também por sair lesionado desta pega, embora com menor gravidade.

4º Toiro - Carlos Neves - 3ª Tentativa

Quando o toiro arranca num galope de muita pata, o forcado recebe com muita correcção e a viaja sózinho de praça a praça, com o grupo a abrir e sem uma única ajuda é por milagre que ao último segundo o vimos sair da cara do toiro sem bater com violência nas trincheiras onde ficou encostado.
Assim que o forcado volta a pedir aos peões de brega a colocação do toiro em sorte (agora mudando-lhe os terrenos para que retirar velocidade à investida) soa uma enorme ovação pelo desmedido coração, necessário a semelhantes características do exemplar e comportamento anterior do grupo.
Com efeito, voltou nesta segunda tentativa a reunir com eficácia a investida violenta mas sem derrotes e mais uma vez o grupo abriu, reunindo apenas em tábuas depois do da cara lá ter batido primeiro.
Recebeu um enormíssimo e merecido aplauso e uma volta, sozinho, ao ruedo, depois da que partilhou com
João Moura.

5º Toiro - Diogo Timóteo - 2ª Tentativa

Falhando no mando, o forcado não recua o suficiente e vê o toiro passar-lhe ao lado sem armar o derrote.
À segunda tentativa corrigiu-se e recebeu com correcção. Sem que se houvesse fechado completamente de pernas e recebendo um derrote alto, consuma uma vistosa pega que encerrou também uma boa primeira ajuda lateral e coesão do grupo (incluindo rabejador que efectuou um remate com muita vista).


Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2018 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.