Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Triunfo de Carreiras na Abertura da Feira da Moita - 15 de Setembro 2009

Emotiva passagem de jaqueta do cabo dos Amadores da Moita, a quem no intervalo se prestou uma bonita homenagem
16 de Setembro de 2009 - 19:24h Crónica por: - Fonte: - Visto: 1245
Triunfo de Carreiras na Abertura da Feira da Moita - 15 de Setembro 2009 Uma das feiras mais importantes da temporada, começou com forte moldura humana, que quase encheu o taurodromo moitense. Aquele público, tão sui generis quanto exigente, esteve alegre e entregue às actuações e ao emotivo espectáculo que se desenvolveu nesta tarde/ noite que abriu a feira.
O curro anunciado de D. Maria Guiomar Cortes Moura não foi além de cumpridor sem facilitar as prestações os cavaleiros e praticante, pela escassez de fiejeza.

JOAQUIM BASTINHAS
1º Toiro - Ganadaria de Paulo Caetano - Negro Bragado - 590kg (2 compridos e 5 curtos e par)

O popular cavaleiro deu início à lide com dois correctos ferros à tira acometendo que ficaram no sítio. Na ferragem curta, procurou chegar às bancadas com a alegria de bonitos cites. Cravou os dois primeiros curtos em sorte frontal, saindo num quarteio de excelente efeito. Continuou depois com outros dois ferros, entre bregas aos tércios, nos quais citou de largo, carregou a sorte e pisou a jurisdição.
Terminou, como foi lhe foi peticionado, com o famoso par, passando por dentro.

ANTÓNIO RIBEIRO TELLES
2º Toiro - Ganadaria de D. Maria Guiomar Cortes Moura - Negro Bragado - 570kg (3 compridos, 4 curtos e 1 palmo)

A escola da Torrinha é a escola clássica e, como sempre, este é o epíteto que melhor descreve as actuações do magistral cavaleiro. Recebeu o toiro (de bonita apresentação) à porta gaiola e levou-o na brega, da qual cedo o exemplar se distraiu. A ferragem comprida completou-se com três ferros a dois tempos, com o toiro a sair algo solto para as sortes. Colocou quatro ferros curtos em sorte de caras dos quais se destacaram o segundo, em que entrou ao píton contrário e o terceiro, elegante ao estribo. Fechou a actuação com um palmo, depois de duas passagens em falso, em que o quarteio foi insuficiente para evitar um toque à garupa.

LUIS ROUXINOL
3º Toiro - Ganadaria de D. Maria Guiomar Cortes Moura - Negro - 500KG (2 compridos, 4 curtos, palmo e par)

Esta foi, das duas que se registaram, a primeira lide de triunfo. Rouxinol, que abriu a lide com um palomino de vistosas tranças na crina, cravou o primeiro de tércio a tércio e o segundo, a dois tempos, resultando a cilhas passadas. Para os curtos, com outra montada, empregou-se desde o cite para cravar os ferros em sortes frontais com boa reunião. Deixou os três primeiros ao estribo e um 4º de violino, um 5º de palmo (das tábuas aos tércios) e, a final, um par que levantou as bancadas.

JOÃO MOURA CAETANO
4º Toiro - Ganadaria de D. Maria Guiomar Cortes Moura - Negro - 480kg (2 compridos e 6 curtos)


Voltámos nesta corrida, a não ver um Moura Caetano assertivo. Apesar de entregue aos trabalhos, mostrou alguma irregularidade e falta de perfeccionismo nas execuções. Chegou a receber assobios, ante os ferros que falhou no final da ferragem curta, mas nem por isso deixou de ir à volta à arena. Facto que não podemos deixar de fazer notar.
Citou de poder a poder para cravar a dois tempos o primeiro comprido. Seguiu com uma bonita brega a tábuas mas a escassa atenção do exemplar fez com que o ferro resultasse a cilhas passadas e pouco ortodoxo.
Na ferragem curta, levou a brega ladeando, sem deixar o toiro desligar-se e cravou o primeiro de caras e o segundo com batida ao píton contrário faltando toiro. O terceiro resultou menor, já que o toiro seguia o engano sem codicia não permitindo que a cravagem em sorte cambiada resultasse ao estribo. Terminou, insistindo neste desenho, com um toque à montada e ferros sem efeito estético.

JOÃO RIBEIRO TELLES JR.
5º Toiro - D. Maria Guiomar Cortes Moura - 473kg (2 compridos e 5 curtos)

Este cavaleiro tem sítio, tem boa cavalaria e transmite às bancadas. É, contudo, um cavaleiro de inspiração e esta, nem todos os dias esta o acompanha. Foi regular, falhou algumas cravagens mas não triunfou, o que, com "verguenza torera" fez com que recusasse a volta. Foi esperar à porta gaiola e apesar do toiro sair distraído, conseguiu leva-lo embebido na brega, em bom plano. Falhou o primeiro comprido, e cravou-o à segunda reunião à tira, tal como segundo. Voltou a falhar a primeira cravagem nos curtos, depois cravou o primeiro ao píton contrário, o segundo à tira perpendicular, o terceiro voltou a falhar para cravar em seguida ensesgado, o quarto frontal à tira ao estribo e quinto - com a imagem de marca, violino seguido pelo palmo à meia volta.

TIAGO CARREIRAS
6º Toiro - D. Maria Guiomar Cortes Moura - 598kg (2 compridos e 4 curtos)

Tal como, noutras instâncias, tenho vindo a afirmar, o praticante Tiago Carreiras será bem mais do que a montada estrela da sua quadra que o tem projectado. Para além do empenho com que se vê andar, tanto como anda a gosto, arrima-se e procura o sítio, mostrando conhecer já muitos dos condimentos necessários para o sucesso. Nesta sua passagem pela feira da Moita, levou de facto o "tal" Quirino, famigerada montada, que assim que pisou a arena para a ferragem curta recebeu ovação. Com esta triunfou verdadeiramente, levantou as bancadas e deu tudo o que havia para tirar do último exemplar. As bregas de remate, a segurança e serenidade de cada cravagem e as sortes de caras foram um todo, bem conseguido e a que valeu a pena assistir. Deixou dois compridos à tira a dois tempos e quatro curtos frontais, com os pítons do toiro ao estribo do cavalo tanto na reunião como nos remates.

O capítulo das pegas, foi também mote para importantes notas. Noite em que se despedia o cabo dos Amadores da Moita, entregando a jaqueta ao novo cabo, volvidos 20 anos de uma vida ligada àquela formação. Noite de despedida de José Luís Gomes, que tal como foi anunciado seria a última vez a apresentar-se como cabo dos amadores de Lisboa a Feira Taurina da Moita.

GFA LISBOA

1ª PEGA - 3ª Tentativa - Francisco Mira


1ª Tentativa - O valoroso jovem forcado da formação Lisboeta, abriu praça com uma tentativa que se frustrou pelos derrotes fortes e altos que recebeu.

2ª Tentativa - Ao segundo intento, mudados os terrenos de investida, Francisco Mira recua mandando e suporta novamente duros derrotes altos que o "obrigaram" a ir da córnea à barbela mas que o impediram novamente de ficar na cara do toiro.

3ª Tentativa - O toiro exigiu que lhe pisassem os terrenos para sair da querença e o forcado mostrou-se muito sereno como se exige quando assim acontece. Conseguiu emendar a entrada na jurisdição recuando muito e mais uma vez reuniu e suportou agora os vários derrotes bem fechado à barbela. O toiro fugiu ao grupo, que apesar da boa primeira ajuda, tardou em reunir.

Recusou insistentemente a volta mas o público e Bastinhas exigiram-lha, pelo que contrafeito acabou por dá-la (Francisco Mira foi o primeiro a sair ao quite, na lide que se seguiu, em auxílio do peão de brega e António Telles que perdeu o engano e foi volteado - pormenores de valentia!)

3ª PEGA - 1ª Tentativa - José Luís Gomes

Um cite bonito, carregando a investida em momento acertado, consentindo e recuando com enorme leveza. José Luís Gomes despediu-se da Moita mostrando o que dele faz uma referência da forcadagem - reuniu à barbela e consumou uma boa pega ao primeiro intento bastante ovacionada.

5ª Pega - 1ª Tentativa - Pedo Maria Gomes

Uma excelente pega em boa técnica foi consumada ao primeiro intento pelo futuro cabo dos Amadores de Lisboa. Citou e mandou para reunir à barbela com querer e com técnica perfeita.

GFA MOITA

2ª Pega

Cernelha à segunda entrada depois de 5 tentativas por Hélio Roma

Das cinco tentativas podemos resumir alguma descoordenação na ajuda do grupo, em especial da primeira ajuda que foi ineficaz. Também Hélio Roma foi incapaz de se manter fechado ante os fortes derrotes. Nem de comboio ao sesgo com as ajudas carregadas e vários elementos de polícia conseguiram consumar.
Mandou o cabo que se fosse à volta, e consuma a dupla de cernelheiros uma excelente pega à isegunda entrada - com ambos os forcados a entrar para o toiro ao mesmo tempo e a cumprir sem dificuldade os trabalhos.

4ª Pega - 1ª Tentativa - Fernando Rodrigues

O cabo que se despedia quis rubricar o momento com uma meritória volta a arena. Assim o logrou fazer - impôs-se ao toiro e fechou à barbela sem dificuldade.
Despediu-se de forma emotiva entregando a jaqueta nos médios de onde todo o grupo o levou em ombros para a volta ovacionada de pé pelo público moitense.

6ª Pega - 1ª Tentativa - Pedro Raposo

Novo cabo em funções, não consumou com excelência mas fê-lo à primeira tentativa. Recebeu com os joelhos e não fechou as pernas em seguida. Recebeu boas ajudas e fechou a noite sem rasurar.
Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.