Por ocasião das Festas em Honra de Nossa Senhora do Ó, realizou-se no passado sábado dia 21 de Agosto no Sobral da Adiça, uma corrida de toiros à Portuguesa.

" /> Por ocasião das Festas em Honra de Nossa Senhora do Ó, realizou-se no passado sábado dia 21 de Agosto no Sobral da Adiça, uma corrida de toiros à Portuguesa.

" /> Por ocasião das Festas em Honra de Nossa Senhora do Ó, realizou-se no passado sábado dia 21 de Agosto no Sobral da Adiça, uma corrida de toiros à Portuguesa.

" />
Sábado, 15 de Dezembro de 2018
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Amadores de Amareleja vencem Troféu de melhor Pega no Sobral da Adiça

Por ocasião das Festas em Honra de Nossa Senhora do Ó, realizou-se no passado sábado dia 21 de Agosto no Sobral da Adiça, uma corrida de toiros à Portuguesa.

24 de Agosto de 2010 - 21:47h Crónica por: - Fonte: - Visto: 1671
Amadores de Amareleja vencem Troféu de melhor Pega no Sobral da Adiça

Por ocasião das Festas em Honra de Nossa Senhora do Ó, realizou-se no passado sábado dia 21 de Agosto no Sobral da Adiça, uma corrida de toiros à Portuguesa. Luís Rouxinol, João Salgueiro e Gilberto Filipe eram motivo de atracção, assim como o troféu em disputa para a melhor pega da tarde. Em competição estiveram 3 Grupos de Forcados Amadores, Moura capitaneados por Pedro Acabado, Safara por Pedro Lúcio e Amareleja por Pedro Pereira. Foram lidados seis toiros da Ganadaria Espanhola de D. José Luís Pereda/ La Dehesilla, com 5 anos de idade, que saíram reservados, bem apresentados, mas que no geral não complicaram a actuação dos cavaleiros. Nas pegas saíram duros para os Forcados. Fruto de alguma inexperiência. O mau estado em que se encontrava o piso da arena da "Pracinha do Sobral", também não ajudou no decorrer do espectáculo. Com pouco mais de meia casa, assistiu-se a uma tarde de toiros que resultou insonsa, sem motivos de interesse.

Luís Rouxinol não teve uma tarde muito inspirada, recebeu o primeiro toiro do seu lote que saiu reservado. O cavaleiro de Pegões, deixou a ferragem comprida á tira. No primeiro curto levou, o toiro empapado na garupa do cavalo, deixou a rês em sorte, cravou o primeiro ferro pisando os terrenos do toiro, e pouco mais. Mudou de montada, e deixa um ferro em sorte violino em terrenos de compromisso. Para a cara deste toiro foi Aurélio Mendes dos Amadores de Moura, o exemplar de Pereda arrancou com pata, o Forcado não recuou o suficiente, não ficando na cara do toiro. Na segunda tentativa o Forcado também não mandou no toiro, saindo lesionado. Foi dobrado pelo David Veríssimo que consumou à sua primeira tentativa. Uma pega rija com o toiro a partir com a cara alta. No segundo do seu lote as coisas também não correram muito bem, Rouxinol andou irregular durante a lide, não andou ligado e a ferragem resultou um pouco desajustada. Destaque para o terceiro ferro curto de boa nota, a partir para a cara do toiro e a pisar-lhe os terrenos. No final o tradicional par de bandarilhas. Pelos Amadores de Moura, Nuno Pires concretizou ao primeiro intento.

João Salgueiro não andou muito bem no primeiro do seu lote. Partiu com muita força para o toiro, deixando a ferragem comprida muito traseira. Não andou ligado, não preparou as sortes, deixando a ferragem da ordem muito desajustada. Pelo grupo de Safara Emanuel Soares, carrega e entra de lado na cara do toiro, não conseguindo fechar-se. Concretiza à segunda tentativa. O segundo toiro do seu lote saiu mais cómodo de investida, destacando-se o cavaleiro de Valada do Ribatejo no terceiro ferro curto, em que preparou a sorte e cravou de alto abaixo. A última pega de Safara também não correu muito bem, com o forcado a entrar mal na cara do toiro. Ouviram aviso, António Campaniço consumou à quarta tentativa com as ajudas carregadas.

Gilberto Filipe também não teve uma tarde muito asseada, no Sobral da Adiça. Enfrentou um exemplar de Pereda também reservado, que não entendeu. Não andou ligado, não preparou as sortes limitando-se a atravessar-se na cara do toiro para deixar a ferragem da ordem. De salientar o quinto ferro de palmo, onde pisou os terrenos ao toiro. Os Amadores da Amareleja também não tiveram tarefa fácil. Nas primeiras tentativas o forcado pisa-lhe os terrenos, o toiro arranca com pata, não dando tempo ao forcado de recuar e fechar-se. Este toiro foi pegado à terceira tentativa de cernelha por Ezequiel Gato e Tiago Martins. O cernelheiro não conseguiu parar o toiro, saindo com este em andamento. Foi evidente a falta de técnica e conhecimento no desenhar desta sorte. O pior e último toiro da corrida coube a Gilberto Filipe. Com o toiro parado o Cavaleiro do Montijo, deixou a ferragem da ordem sem grande brilho. A lide resultou insonsa. Fechou a corrida Ezequiel Gato pelos amadores da Amareleja, numa pega rija, aguentando a viagem do toiro, e concretizando ao primeiro intento. No final o Júri, não se sabe por quem foi constituído, entregou o prémio em disputa a esta última pega.

Abrilhantou a Corrida a Banda de Música União Musical Amarelejense

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2018 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.