Segunda-feira, 23 de Julho de 2018
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Salgueiro triunfa na XII Corrida da TVI

Noite agradável na XII Corrida da TVI no Campo Pequeno, perante uma boa casa.

09 de Julho de 2010 - 15:40h Crónica por: - Fonte: - Visto: 900
Salgueiro triunfa na XII Corrida da TVI

Noite agradável na XII Corrida da TVI, que a par da RTP todos os anos transmitem uma série de corridas não virando as costas à Arte do Toiros em Portugal, não embandeirando em modernices e tendências dos nossos tempos.

Mas vamos ao que interessa, com cerca de três quartos de casa e muito bom ambiente nas bancadas estiveram em praça os cavaleiros Rui Salvador, João Salgueiro e Tiago Carreiras. As pegas estavam a cargo do Aposento de Barrete Verde de Alcochete e Amadores das Caldas da Rainha. Lidaram-se toiros da ganadaria de Pinto Barreiros.

Abriu praça o cavaleiro Rui Salvador que conta com 26 anos de alternativa aos mais alto nível e ao contrário da grande maioria dos seus colegas, foi sempre um cavaleiro que se recusou tourear em Espanha. Agora até a moda das alternativas em Espanha pegaram com mais força. Diante de um toiro de 628 kg o mais pesado da corrida, esteve bem na ferragem comprida e nos curtos teve bons momentos de toureio empregando-se na lide com sortes de belo efeito, atacando o toiro e provocando-lhe a investida. No segundo do seu lote a lide não teve o mesmo resultado, dado que era um toiro de 564Kg tardo em investidas, o cavaleiro de Tomar andou esforçado e colocou a ferragem da ordem com destaque para um ferro de violino, sorte pouco usual neste cavaleiro.

João Salgueiro veio ao Campo Pequeno com vontade de triunfar é certamente dos cavaleiros que mais empolga o público, assim tenha matéria-prima para brilhar. No seu primeiro toiro de 488Kg, o melhor da corrida, o cavaleiro andou a gosto e triunfou. Nos compridos colocou a ferragem da ordem e foi nos curtos que a sua genialidade veio ao de cima. Sacou uma das estrelas da sua quadra e empolgou o público presente com ferros curtos cheios de emoção, dando vantagens ao toiro e com uma bonita brega a lide resultou em grande, rematando os ferros com piruetas do cavalo na cara do toiro, teve direito a duas indiscutíveis voltas á arena. No segundo do seu lote um toiro de 612Kg a expectativa era enorme, pois tanto publico como cavaleiro estavam na esperança da Porta Grande, mas assim não aconteceu. Um toiro com menos andamento que o seu primeiro, não proporcionou triunfo ao cavaleiro, andou bem nos compridos, mas nos curtos abusou dos quiebros frente a um toiro cujas as características não eram as mais indicadas para aquele tipo de sorte. Teve algumas passagens em falso e consentiu também alguns toques na montada. No entanto destacamos o quinto ferro, bem executado e bem rematado.

Tiago Carreiras voltou ao Campo Pequeno depois da sua corrida de alternativa e a expectativa também era grande, mas as lides não resultaram em pleno. No seu primeiro toiro de 554Kg andou regular nos compridos. Nos curtos o cavaleiro abusou um pouco da velocidade e preocupou-se mais em rematar os ferros do que em crava-los mais precisamente. No segundo do seu lote um toiro de 514Kg que apresentava alguma dificuldade na mão esquerda. O cavaleiro da Casa Branca não esteve com acerto nos compridos falhando duas vezes seguidas. Para os curtos e talvez como forma de remediar a primeira parte da lide, sacou o consagrado Quirino. Nesta lide o toiro mostrava boas características, embora estivesse limitado dado o seu problema de locomoção, Tiago Carreiras tirou partido do exímio cavalo que tem com sortes frontais e bem rematadas, o cavaleiro chegou facilmente ao público. Nota-se alguma condescendência do público face a este jovem cavaleiro, no entanto essa não dura para sempre. É claro que não se põe em questão toda a garra e entrega do jovem cavaleiro.

Quanto à forcadagem, tanto o Aposento do Barrete Verde como os Amadores das Caldas estiveram em bom plano. Pegaram pelo Aposento João Salvação à segunda, Diogo Timóteo à primeira e Carlos Neves à segunda.

Os Amadores das Caldas da Rainha pegaram Francisco Rebelo de Andrade à primeira, Óscar Carvalho à primeira e Mário Cardeira è terceira, depois de na primeira tentativa ter ficado desmaiado no centro da arena juntamente com o seu primeiro ajuda.

Em relação aos toiros Pinto Barreiros, estavam todos bem apresentados e os pesos oscilavam entre os 488 Kg e os 628 Kg, cumpriram na sua generalidade, sendo bom o segundo da noite e o pior do lote o quarto.

Dirigiu com acerto o Sr. Ricardo Pereira, assessorado pelo médico veterinário Dr. José Luís Cruz.

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2018 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.