Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Emoção ao rubro na Corrida Real em Évora

Emoção ao rubro na Corrida Real em Évora, diante de um curro sério Castro.

15 de Julho de 2010 - 14:35h Crónica por: - Fonte: - Visto: 1438
Emoção ao rubro na Corrida Real em Évora

Noite de emoções fortes na XII Corrida Real em Évora, este ano homenageando a grande diva do fado Amália Rodrigues e uma vez mais, com a presença dos membros Casa Real Portuguesa.

Perante cerca de meia praça apresentaram-se na Arena d´Évora as cavaleiras Sónia Matias, Ana Batista e a praticante Isabel Ramos. Forcados Amadores de Évora e Aposento da Moita, que faziam a sua apresentação em Évora. Lidaram-se toiros de Hds. de Ernesto Fernandes de Castro.

Abriu praça a cavaleira Sónia Matias e as coisas não podiam começar da melhor maneira. Sónia rubricou uma lide muito boa pautada por ferros de belo efeito, sempre ligada com o toiro e aproveitando bem as suas características, nota alta para a colocação do ferro violino. No segundo do seu lote a lide não teve o mesmo resultado da primeira, diante de um toiro brusco de investida, a actuação da cavaleira ficou marcada pela constante intervenção dos bandarilheiros. Em suma boa actuação de Sónia Matias, que está apostada em recuperar as suas boas actuações.

Ana Batista não teve uma primeira lide muito conseguida. Constantes intervenções dos bandarilheiros e talvez o facto de não ter entendido da melhor forma as características do toiro, tiraram o brilhantismo à lide, com a colocação da ferragem a não resultar em pleno. No entanto, no segundo toiro do seu lote, a cavaleira de Salvaterra esteve ao seu nível habitual, toureando de frente com sortes bem executadas, espalhando todo o classicismo do seu toureio na arena eborense.

Isabel Ramos que se apresentava este ano ao público, acusou falta de rodagem, no entanto mostrou bons pormenores e muita vontade em evoluir, mas quando se tem toiros como os desta noite pela frente as lides são mais exigentes e a cavaleira teve uns furos abaixo do que era exigido. Louvo a coragem da cavaleira praticante em não ter virado a cara à luta e ter enfrentado, conforme podia, um sério curro Castro.

Mas a grande emoção da noite foi para os forcados que se tiveram de empregar com tudo aquilo que tinham e mostrar a coesão necessária para uma noite como esta. Pegaram pelos Amadores de Évora Gonçalo Pires à terceira, Ricardo Casasnovas à primeira a pega da noite e António Alfacinha à primeira a sesgo, após dobrar João Leitão que saiu lesionado à terceira tentativa.

Pelo Aposento da Moita, pegaram Pedro Brito de Sousa à segunda, Gustavo Martins à segunda e Nuno Carvalho à quinta a sesgo.

Quantos aos toiros Herds. de Ernesto Fernandes de Castro os pesos oscilavam entre os 480 e os 635Kg todos eles bem apresentados e a pedirem contas tanto ás cavaleiras como aos forcados.

Dirigiu com acerto a corrida o sr. Nuno Nery, assessorado pelo médico veterinário Dr. Matias Guilherme.

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.