Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Nem toiros Portugueses, nem orelhas Francesas

20 de Março de 2010 - 21:53h Crónica por: - Fonte: Nelson Granado - Visto: 1630
Nem toiros Portugueses, nem orelhas Francesas

Durante este sábado em que a chuva ameaçava e o vento era rei e senhor, decorreu na praça de toiros de Las Ventas, Madrid a 2ª novilhada da presente época taurina.

O cartel era composto por diversas estreias no principal coso Espanhol, desde logo a começar pela Ganadaria de Virgen Maria que se apresentava à aficion Madrilena, esta ganadaria encerra a sua finca em Arles, França pelo que desde ai seguiram algumas dezenas de conterrâneos para ver o seu debute e respectiva prova de antiguidade. Se a apresentação morfológica estava muito em tipo para a praça, o mesmo não se veio a verificar no que à bravura e codícia diz respeito uma vez que estas deveram ter ficado por solo Gaulês. Desencastados e demasiado curtos na investida no último tércio, privaram que os espadas de hoje pudessem ter mais algum luzimento.

Fernando Tendera era o único interveniente que já havia toureado em Madrid, mas nem esse pequeno estatuto que levava o fez sair da monotonia da corrida. Foi silenciado nas suas duas actuações.

O Colombiano Sérgio Blanco fazia neste dia a sua apresentação ao público madrileno, em boa hora foi aquele que mais fez durante esta tarde. O seu primeiro oponente parecia ter “gatos na barriga” com investidas descompostas a quem o jovem diestro soube templar e arriscar na busca de vários muletazos soltos. O público premiou o seu louvor com uma calorosa saudação que recebeu desde os tércios. Durante a lide do seu 2º viu ser colhido com gravidade o seu subalterno que recolheu a enfermaria pelo seu próprio pé, mas com uma cornada de 15 cms que lhe destroçou o trícep do braço esquerdo. Acabou novamente por ser ovacionado.

A Jimenez Forte de Málaga, que também fazia o seu debute nesta praça, vimos a cara e coroa da festa brava. O seu primeiro foi quiçá o touro mais nobre da corrida, vindo a inviabilizar-se durante o tércio de morte na mão esquerda, pelo que perdia sempre as mãos cada vez que o toureio lhe aplicava cingidos e templados naturales. Recebeu uma ovação desde os tércios da praça. No seu segundo toiro aconteceu-lhe o que pior pode acontecer a um matador. A faena foi feita muito na base do toureio de proximidade, demasiada nalgumas situações, onde o toureio esteve a ponto de ser colhido. Arrastando em demasia a lide, não foi afoito a matar pelo que acabou por escutar os 3 avisos, que o impediram de cumprir todos os tércios de uma faena.

Nota final para a enorme alegria que tive quando apôs conversa com veterinário da praça dizendo-me que os novilhos a serem lidados como sobreros, pertenciam a uma ganadaria Portuguesa. E apesar de não terem sido lidados em praça gostaria que todos soubessem que eram da ganadaria de Canas Vigouroux. E desde já atenção a estes valores, novilhos de 4 anos com o peso de 536kg e 507. Relembrar apenas que era uma novilhada picada a corrida em questão.

Saudações Tauromáquicas

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.