Terça-feira, 22 de Maio de 2018
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Grande Noite do Aposento da Moita

Pegas rijas na quarta corrida da feira da Moita

18 de Setembro de 2010 - 22:12h Crónica por: - Fonte: - Visto: 1228
Grande Noite do Aposento da Moita

A quarta corrida da feira Moita que se realizou no dia 16 de Setembro, decorreu num verdadeiro ambiente de festa e de grandes expectativas. João Moura, João Salgueiro e Rui Fernandes preencheram o cartel, numa noite em que foram lidados 6 toiros La Dehesilla, bem apresentados, deram jogo desigual, mas no geral cumpriram. Pegou um dos Grupos da terra o Aposento da Moita que teve soberbo. A raça, coragem, valentia, e coesão do Grupo, conduziu a verdadeiros momentos de emoção.

João Moura o cavaleiro mais velho de alternativa, teve por diante um toiro de 543 kg, bem apresentado, ao qual sacou uma lide irregular. Deixou a ferragem da ordem, sofrendo alguns toques na montada. José M. Bettencourt, Forcado do Aposento da Moita fechou-se à barbela, consumando à primeira tentativa com o grupo a fechar. Na segunda lide João Moura andou mais correcto frente a um toiro de 560kg, que saiu distraído sem se fixar no cavalo, desenvolvendo sentido em procurar saltar as tábuas, o que dificultou a colocação da ferragem comprida. Nos curtos de salientar o quarto ferro, onde João moura preparou a sorte e cravou. Terminou a lide com uma rosa. O toiro saiu duro para os forcados. Derrotou não consentindo o forcado José Henriques na cara. A coragem e determinação, levou o forcado a consumar a pega à quinta tentativa com as ajudas carregadas, com o toiro a tentar tirar a cara.

A João Salgueiro saiu um exemplar de 515 kg, bem apresentado, que colaborou. Cravou os dois compridos à tira. Nos curtos a lide foi crescendo de tom, o primeiro resultou ligeiramente descaído, duas passagens em falso, mudou os terrenos ao toiro e cravou o terceiro ferro. Terminou a lide com um ferro de muito boa nota. Encurtou distâncias provocou a investida ao exemplar, e cravou um ferro de muita emoção. Para o forcado Pedro Sousa, o toiro arrancou pronto, concretizando ao primeiro intento com o grupo a fechar bem. No segundo do seu lote que apresentou o peso de 605 kg, saiu bem apresentado, permitindo ao cavaleiro de Valada imprimir uma lide de menos a mais. No primeiro e segundo ferro as coisas não correram tão bem. Mudou de montada, em curto fez a batida e um pouco hesitante deixa o ferro, sem grande emoção. Mais uma vez em curto fez a batida, pisou terrenos de compromisso, aguentou e cravou, deixando dois ferros de muito boa nota. Nuno Inácio do Aposento da Moita, teve enorme numa pega rija. Com muita força de braços aguentou, e o grupo consumou à primeira.

Rui Fernandes coube um exemplar de 625kg, o mais pesado da corrida, de igual apresentação aos seus irmãos de camada, adiantava-se ligeiramente. Rui Fernandes não teve no seu melhor dia. Nos compridos, o primeiro foi de má nota, não consegui partir o ferro, cravando o segundo à tira. Nos curtos, andou irregular fez a batida em curto, o que nem sempre resultou no desenhar da sorte, ficando os ferros a cilhas passadas. O toiro arranca pronto para Diogo Gomes, aguentando a viagem na cara do toiro, consumou ao primeiro intento uma pega rija. No segundo do seu lote, de 490kg, também bem apresentado saiu condicionado, apresentando problemas nos quartos traseiros. A tarefa não foi fácil. Nos compridos, Rui Fernandes deixa os dois ferros com o toiro parado. Nos curtos o destaque vai para o quinto e último ferro, em curto fez a batida aguentou, com o toiro a ir com a cara alta à garupa do cavalo, cravando de alto a abaixo. Fechou a corrida Francisco Baltasar, aguentou na cara do toiro e consumou à terceira tentativa.

Dirigiu a corrida o Sr. Ricardo Pereira.

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2018 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.