Segunda-feira, 18 de Junho de 2018
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Muita raça para enfrentar os "comboios" Campos Peña!!!

Curro IMPONENTE de Campos Peña deu ENORMES pegas aos grupos de Vila Franca e Coruche.

Triunfos de Ribeiro, Gilberto e Tomás Pinto e o triunfo ganadero

19 de Setembro de 2010 - 02:51h Crónica por: - Fonte: - Visto: 1242
Muita raça para enfrentar os

Foi uma extraordinária moldura humana que encheu as bancadas para desfrutar em pleno de um excelente e imponente curro de toiros de Campos Peña, para um muito interessante cartel cheio de rivalidade.

Em geral e à excepção do primeiro toiro, todos os demais tiveram um valioso condão de bravura (q.b.) que permitiu aos cavaleiros expor o seu valor artístico ao mesmo tempo que pela imponência do trapio exultaram a raça e valentia de todos quantos pisaram a arena.

A Joaquim Bastinhas coube a sempre ingrata tarefa de abrir a noite e envolver o público no cartel. Coube-lhe em sorteio um dos mais pesados da corrida, com 705kg, mas que não tinha condições de lide. Desinteressado da montada, investia apenas quando o veterano entrava terrenos adentro, para de logo se desinteressar. Apesar de a lide ter crescido à medida que Bastinhas entrou em terrenos de maior compromisso, não teve movimento ou brilho.

De Vítor Ribeiro muito há a dizer esta noite. Sem que nada fizesse notar a recente lesão aparentemente grave que sofreu no joelho direito, lidou com enorme entendimento o Campos Peña de 655kg, perante o qual esteve soberbo. O toiro saiu com pata dos curros e, Vítor Ribeiro, preocupado acima de tudo em executar com precisão e verdade todas as sortes, aproveitou a alegria com que o toiro chegava às bancadas. Foi uma lide sem pausas, em que o toureiro esteve sempre ligado ao toiro para lhe extrair as melhores qualidades. Apesar de ser um cavaleiro muito regular, esteve especialmente inspirado e, por isso, um dos grandes triunfadores da noite.

Ana Baptista, atravessa um magnífico momento da sua carreira. São-lhe conhecidas a sensatez e a coerência das suas lides mas esta noite esteve mesmo em grande plano. Muito segura e muito ciente do seu valor esteve à altura da “estampa” com 625kg que permitiu bons apontamentos de toureio à cavaleira.

Gilberto Filipe, figura muito acarinhada também na Moita, vizinha da sua terra natal, é um toureiro que tem tido uma carreira atípica. Sendo um cavaleiro de inspiração, assistimos-lhe a lides muito boas quando aquele sentido se une a boa matéria-prima. Foi, felizmente, o que aconteceu esta noite, garantindo a Gilberto um verdadeiro triunfo que poderá somar à sua carreira. Esteve muito seguro frente àquele que foi o toiro mais pesado do lote – com 759kg, que, dando bom jogo, foi lidado nos médios com emotivos ferros ao píton contrário, nos quais, realmente, este cavaleiro é exímio.

Tomás Pinto actuou como se de um verdadeiro veterano se tratasse. Sem se intimidar com os 600kg do Campos Peña ou com o peso que uma actuação nesta importante feira taurina pode ter carreira de um cavaleiro, mostrou enorme sentido de lide e bonitos ferros cravados de alto abaixo que deram um vistão. Tendo sido uma lide, acima de tudo com muito sentimento e entrega, foi a ligação ao toiro na brega e o cuidado em cada execução que marcaram a passagem do jovem pela Moita.

Marcelo Mendes encerrou a corrida ante o toiro mais leve com 595kg, que lhe trouxe alguma dificuldade ao qual o jovem praticante não conseguiu dar a volta. Sem que nada o justificasse, optou pelos terrenos fáceis de tábuas e perdeu grande parte do brilho que o toiro podia transmitir às bancadas. Mostrou-se algo inseguro e, apesar de não ter defraudado, esteve em plano inferior aos demais, e, a si próprio, já que a sua ainda jovem carreira o tem revelado uma promessa a ter em conta.

AS PEGAS

As pegas de ambos os grupos de forcados foram os grandes momentos da noite e serão com certeza recordadas por todos como uma marcante efeméride. Senão vejamos…

Amadores de Vila Franca de Xira:

3ª Tentativa - Ricardo Castelo, salta à arena para pegar um toiro de 705kg que nada tinha andado na lide. Com uma incrível imperturbabilidade cita o toiro e obtém uma reunião duríssima que o despeja da cara, sem que as ajudas pudessem amparar a investida. Depois de uma 2ª tentativa igualmente dura, consuma ao 3º intento, agora com a ajuda um pouco mais carregada e sem pecado.

1ª Tentativa – Nuno Castelo, pegou o terceiro da ordem com 625kg que arrancou pronto, franco e com pata. Sem dificuldade mas com um enorme impacto, o forcado fecha-se à córnea e consuma uma extraordinária pega em que o grupo esteve irrepreensível.

1ª Tentativa – Bruno Casquinha, pegou o Campos Peña de 600kg (quinto da ordem) e foi outra enormidade de pega. Com o toiro a entrar ligeiramente ensarilhado e de cabeça alta, o forcado reúne com uma vontade desmedida recebendo uma importantíssima 1ª ajuda, que lhe permitiu suportar os muitos e duros derrotes que recebeu por alto e baixo. Recebeu uma meritória chamada aos médios com todo o público com ele.

Amadores de Coruche:

3ª Tentativa – Ricardo Dias, viu o poderoso Campos Peña de 655kg arrancar a galope ainda não tinha chegado aos médios e sequer começado a citar. Não conseguindo carregar a sorte para se adiantar nos terrenos e recuar devidamente acaba por receber quase de estaca e sofre um violento derrote que o deixa inanimado e que motivou a dobra por Miguel Raposo. Na sua 1ª tentativa este forcado escorrega ligeiramente a recuar e perde o mando na voz pelo que tendo a investida ensarilhado, é desfeiteado violentamente. Com enorme vontade, a pega consumou-se com o público de pé já que assim que o toiro sentiu o forcado se bateu em violentos e inúmeros derrotes.

1ª Tentativa – José Tomás, fez gelar o coração do público quando se viu o mais pesado da noite com 759kg, arrancar de um salto a galope para o forcado, que escorregou ligeiramente quando recuava mas que se fechou à córnea e aguentou decidido a viagem, tendo recebido uma boa ajuda e consumado uma espectacular pega.

1ª Tentativa – Pedro Galamba, pegou o 6º toiro da ordem com 595kg. Não encontrou dificuldade e consumou a pega cumprindo os tempos a preceito para fechar em grande uma excelente prestação doo grupo numa corrida tão impactante como esta.

Na tradicional “tarde do fogareiro” o ambiente taurino é vivo desde cedo entre as muitas tertúlias de amigos que se juntam ao longo de toda a grande avenida que desce da Daniel Nascimento.

Todo este ambiente se transfere para a noite, onde nas bancadas da praça se vivem com o mesmo ritmo alegre as emoções da corrida, que este ano encerrou a Feira Taurina da Moita com uma enormidade de valentia.

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2018 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.