Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

João Salgueiro venceu o 7º Troféu Branco Núncio e Évora

Na sexta-feira dia 24 em Évora, assistimos a uma noite de boas pegas e bons momentos de toureio a cavalo na disputa do 7º troféu João Branco Núncio, este ano pela primeira vez na Arena d´Évora.

29 de Setembro de 2010 - 15:40h Crónica por: - Fonte: - Visto: 1902
João Salgueiro venceu o 7º Troféu Branco Núncio e Évora

Na sexta-feira dia 24 em Évora, assistimos a uma noite de boas pegas e bons momentos de toureio a cavalo na disputa do 7º troféu João Branco Núncio, este ano pela primeira vez na Arena d´Évora.

Em praça estiveram os cavaleiros João Moura, João Salgueiro e João Telles Jr. As pegas estiveram a cargos dos Amadores de Santarém e Évora. Lidaram-se toiros da Ganadaria Passanha.

Abriu praça o cavaleiro mais velho. O maestro Moura em nada acusa os largos anos que está nos toiros ao mais alto nível. No primeiro do seu lote, o cavaleiro de Monforte esteve bem a recebê-lo. Para os curtos sacou do Merlin, mas o toiro foi a menos. Colocou bem a ferragem e rematou as sortes ladeando na cara do oponente. Terminou a lide com um bom ferro de palmo. No segundo do seu lote a sorte não esteve do seu lado, o cavaleiro teve bem nos compridos e nos curtos quis recriar-se na cara do toiro provocando a investida no momento da ferragem, mas o toiro não estava para ali virado. Valeu o esforço do cavaleiro. De realçar o profissionalismo de João Moura em não dar volta à arena, mesmo após insistência do público, mostrando o seu carácter enquanto cavaleiro, numa altura em que as voltas à arena estão cada vez mais banalizadas.

João Salgueiro tem sido dos cavaleiros mais regulares de toda a temporada. Em Évora ia cheio de ganas para levar o troféu em disputa para casa e conseguiu, tudo derivado da lide do seu primeiro toiro, que foi o sobrero após o toiro que lhe calhou em sorte se ter desembolado ao saltar a trincheira por duas vezes. Colocou três bons ferros compridos e para os curtos foi buscar o "craque" Van Gogh. Diante de um toiro com alguma qualidade, Salgueiro levantou as bancadas com ferros de antologia, partindo para cima do toiro e fazendo a paradinha para de seguida carregar o piton contrario do "Passanha" e colocar grandes ferros. Bregou e rematou muito bem as sortes com piruetas na cara do toiro. No seu segundo toiro a lide não teve o mesmo impacto. O "Murube" era reservado e tinha meias investidas. O cavaleiro de Valada provocou-lhe a investida, pisou-lhes os terrenos com a montada mas pouco havia a fazer frente a este tipo de toiro.

João Telles Jr. é outro dos cavaleiros que se tem apresentado num nível elevado. Recebeu o seu primeiro toiro à "porta gaiola" e colocou dois bons ferros a abrir. Para os curtos foi buscar o Vilaverde e obteve uma excelente lide. Preparou bem as sortes, levando o cavalo a uma só mão e com ligeiras batidas ao piton contrário colocou excelentes ferros. No segundo toiro do seu lote a lide não esteve ao nível da sua anterior, embora tenha estado a um bom nível. "Ginja" cumpriu nos ferros compridos e nos curtos com nova montada, após duas passagens em falso, colocou o ferro um pouco traseiro. No entanto emendou a mão e já mais conhecedor dos terrenos do toiro tornou a colocar bons ferro. Terminou a lide com um "palmito" seguido de um ferro curto.

Quanto à forcadagem, a noite noite foi brindada de boas pegas. Pegaram por Santarém Luís Sepúlveda (1ª), António Imaginário (3ª) e João Goes (3ª). Por Évora pegaram Bernardo Patinhas (1ª), António Moura Dias (1ª) e José Miguel Martins (1ª).

Em relação aos toiros Passanha vindos da Herdade da Pina, estavam todos eles muito bem apresentados com o pesos oscilar entre os 660 e os 560Kg, com um comportamento típico do encaste "Murube".

Quanto à atribuição do 7º Troféu João Branco Núncio, aceita-se a decisão do júri em atribuir ao cavaleiro João Salgueiro, no entanto, não obteve consenso do público que pendia mais para o cavaleiro João Telles Jr., podemos dizer que havia um empate técnico...

Para terminar é de realçar a duração da corrida (cerca de 2,30h), o silêncio durante as pegas e o excelente trabalho dos campinos.

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2018 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.