Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Noite de Triunfo para Filipe Gonçalves e Marcos Tenório

Festas Populares de 5 a 12 de Junho no Pinhal Novo
12 de Junho de 2011 - 12:23h Crónica por: - Fonte: - Visto: 1603
Noite de Triunfo para Filipe Gonçalves e Marcos Tenório

Praça de Toiros do Pinhal Novo (praça desmontável junto do Quartel dos Bombeiros locais)

Sábado, 11 de Junho de 2011 – 22 horas – Noite agradável de temperatura um pouco fresca.

Cartel composto pelos Cavaleiros Joaquim Tenório “Bastinhas” – Filipe Gonçalves (apelidado de Furacão do Algarve) e Marcos Tenório.

Três Grupos de Forcados Amadores de Pinhal Novo Cabo Sandro Patraquim, Cuba, Cabo José Mota e Aposento de Tomar, Cabo Paulo Josué.

Seis Toiros da Ganadaria de Rio Frio, que estavam bem apresentados e com pesos entre os 480 e os 500 quilos, de capas variadas, que cumpriram no geral, pois apresentaram casta, codícia e alguma bravura.

Joaquim Bastinhas, lidou o primeiro da noite um exemplar bisco do corno esquerdo e de capa ou pelagem castanha (colorau ojo de perdiz), exemplar que pouco transmitiu e ao qual o cavaleiro lhe deu a lide adequada, mas um Joaquim Bastinhas um pouco longe de outras actuações que lhe temos visto. Cravou dois ferros compridos, no primeiro sofreu um toque na montada, e o segundo foi à tira de boa nota, mudou de montada e passou par a ferragem curta cravando 4 ferros, com o senão de sofre um toque na montada, os restante foram de boa nota, embora o público tenha pedido insistentemente não finalizou a sua actuação com o habitual par a duas mãos.

Coube depois lidar o quarto da noite, um exemplar de capa preta listão (negro liston), e aqui sim vimos um Joaquim Bastinhas mais emotivo e mais alegre, já mais perto do seu habitual estilo e forma de chegar com força junto da bancada.

Cravou dois compridos de boa nota, passou para os curtos após mudar de montada no final do primeiro comprido, e veio a cravar quatro curtos, sendo o seu segundo de muito boa nota, finalizou com o seu habitual par de bandarilhas de excelente colocação.

Filipe Gonçalves, lidou o segundo da noite um exemplar de capa castanha, cravou três ferros compridos, sendo o seu primeiro um pouco traseiro, o segundo de boa nota e o terceiro descaído, passou para os curtos e a sua lide veio a mais chegando com força junto dos espectadores, cravou quatro ferros após boa brega, com o senão de sofrer um toque no segundo e quarto da ordem finalizou a lide com um bom par de bandarilhas, sofrendo um ligeiro toque na montada que não lhe retira o mérito. Actuação muito boa.

Lidou depois o 5º da noite exemplar de castanho (colorau), cravou três ferros compridos com destaque para os dois primeiros de boa nota, sendo menos bom o terceiro, subiu a sua actuação de tom ao trazer para os ferros curtos um cavalo ruço que eleva as mãos e bate palmas, cravou um conjunto de cinco bandarilhas curtas, sendo o quarto ferro em sorte de violino, e acabou a sua actuação com mais dois curtos a pedido do público. Foi de novo uma actuação em grande deste cavaleiro que bem merece que as Empresas lhe proporcionem mais contratos.

Marcos Tenório, lidou o terceiro da noite, exemplar de preto bragado meano (negro bragado corrido), cravou dois ferros compridos sendo o primeiro descaído e o segundo de boa nota, cravou depois três ferros curtos de boa nota, um ferro de palmo em sorte de violino e um par a duas mãos como finalização da sua primeira actuação. Teve neste exemplar uma actuação em grande, como nos tem habituado em outras tantas actuações.

Na segunda parte lidou o 6º. toiro um exemplar de capa castanha (Colorau ojo negro), cravou dois ferros sendo o primeiro de boa note e o segundo um pouco descaído. Vieram depois os ferros curtos e aqui a sua actuação subiu de nível, ao cravar 5 bandarilhas, destacamos o 2º. e 5º.

Noite em que os três cavaleiros tiveram, sempre a preocupação de estarem bem a lidar e a cravar, mas por vezes tal não acontecia, por arriscarem demais em certas sortes e porque alguns toiros por vezes se adiantavam.

Os Grupos de Forcados estiveram em bom plano, fazendo jus e honra às jaquetas que envergam.

O Grupo do Pinhal Novo pegaram o primeiro à primeira tentativa e o quarto à terceira tentativa, desta feita através do cabo que dobrou o forcado da cara que saiu muito maltratado após a segunda tentativa

O Grupo de Cuba, pegaram o segundo da noite à segunda tentativa e o quinto à primeira.

Grupo do Aposento de Tomar pegaram o terceiro à segunda tentativa e o sexto à primeira.

Todos os forcados pegaram os seus oponentes em sorte à barbela.

Corrida bem dirigida pelo Director António dos Santos.

Noite agradável para todos quantos se deslocaram até à vila do Pinhal Novo, onde podemos verificar que há ambiente, interesse e aficion em redor da Corrida Toiros. Estão de parabéns a organização pela Corrida que montou, e o público que ocorreu em massa esgotando a lotação da praça.

Os preços variavam entre os 10,00 e os 25,00 €

 

 

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2018 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.