Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Sanjoaninas com Concurso de final amargo...

Anunciado o Concurso de Ganadarias, o público acorreu em massa à Monumental ?Ilha Terceira?, como é habitual.
25 de Junho de 2011 - 17:07h Crónica por: - Fonte: - Visto: 1416
Sanjoaninas com Concurso de final amargo...

O infortúnio selou uma tarde em que o triunfo estava em disputa. A corrida caminhava para o seu final e a praça, cheia até às bandeiras, aguardava de forma vibrante a cravagem do último ferro de João Moura Jr Já com o toiro colocado em sorte, o cavaleiro desmontou e o “Belmontim” caiu sobre a arena “colhido” por um ataque fulminante…

Anunciado o Concurso de Ganadarias, o público acorreu em massa à Monumental “Ilha Terceira”, como é habitual. Em discussão os prémios para Melhor Lide a Cavalo, Melhor Pega, Melhor Apresentação e Melhor Toiro.

Vitor Ribeiro abriu praça diante de um complicado toiro Palha (nº218, 490Kg). O produto da divisa azul e branca mostrou-se andarilho, desligado da lide e procurando as tábuas desde cedo. O Cavaleiro desenvolveu uma lide com mérito ligando-se ao toiro e a conduzir as bregas de forma inteligente, procurando sempre embeber o oponente na garupa da montada. Espremeu todo o sumo que havia no toiro e encerrou a sua prestação com um Violino que chegou às bancadas. O segundo do seu lote ostentava o ferro da Casa Agrícola José Albino Fernandes (JAF, nº273, 475Kg). O da divisa verde rubra mostrou-se colaborante e de investida pronta, no entanto foi perdendo qualidades com o decorrer da lide. Ribeiro conseguiu recriar-se de outra forma e lidou com mais brilho. Desempenho marcado por cravagens frontais, ao seu estilo, pisando muitas vezes terrenos de compromisso buscando o oponente.

O melhor lote da corrida coube em sorte a Tiago Pamplona. Tinha bons modos o exemplar de Rego Botelho (nº25, 450Kg), a proporcionar bom jogo e a crescer de comportamento ao longo da contenda. O Cavaleiro da Quinta do Malhinha desenvolveu uma lide de nível elevado, a cravar de frente e a medir bem as distâncias. Encerrou com 2 bons ferros de palmo que fizeram com que se ouvisse forte ovação. O Murteira Grave (nº91, 500Kg), 5º da tarde, também proporcionou boa peleja, empregando-se e a cumprir o que lhe era pedido. Apesar de não suplantar a sua primeira prestação, o Marialva esteve novamente por cima do oponente, ligando-se mais com a assistência. Mostrou entendimento e critério na escolha de terrenos, no entanto, mostrou menos precisão nas cravagens. Rubricou a sua prestação com dois Violinos bastante sonoros.

O exemplar de João Gaspar (ferro Irmãos Toste, nº 106, 545Kg), lidado por João Moura Jr, vinha bem apresentado mas parco de energia. Apesar de acolher ao cite, o toiro transmitiu pouco e foi-se defendendo, mercê da aparente falta de força. Moura Jr desenhou uma lide de muito agrado suplantando o adversário. Cravou com acerto e bregou, fiel à linha da casa de Monforte. Apesar da entrega, a lide não resultou com a emoção pretendia, virtude do fraco empenho do toiro. Para encerrar a corrida, saiu dos curros o nº 255 de Veiga Teixeira (525Kg). Bonita estampa a deste toiro que cumpriu, no entanto, com o desenrolar da luta foi-se mostrando reservado e com alguma dificuldade no membro posterior direito. A lide foi sempre em crescendo por parte do Cavaleiro. Destaque para o segundo ferro curto a consentir a investida do toiro e a cravar no momento exacto. Após a cravagem dos curtos rematou com um ferro de palmo que agarrou em definitivo todos quantos assistiam nas bancadas. Repetiu com novo palmito que, ao bater na cravagem já colocada, caiu por terra. Na emenda e, quando ia iniciar o cite, a tragédia aconteceu e a montada, o “Bemontim” desfaleceu. Muitos foram os que ocorreram em auxílio na tentativa de reanimação do cavalo, mas nenhum do esforço efectuado resultou como pretendido. Acabava assim, com sabor amargo, a corrida.

No plano da forcadagem, abriu praça José Vicente, dos Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense (GFATTT), que com muito querer efectuou a pega da tarde. Pelo Aposento de Turlock (GFAT), Darren Moutain efectuou uma boa pega ao primeiro intento. César Pires dos Amadores do Ramo Grande (GFARG), com ajudas carregadas concluiu à 3ª tentativa, frente a um toiro que pediu contas aos forcados. Álvaro Dentinho (GFATTT) foi derrotado à primeira tentativa e viu-se impossibilitado de repetir, uma vez que o exemplar JAF sofreu o primeiro revés da tarde partindo a haste direita após violenta investida na trincheira. Fernando Machado Jr (GFAT) fechou-se na cara do 5º da tarde, sem dificuldade, ao primeiro intento. Mercê do sucedido com a montada de Moura Jr., o último toiro da corrida, que cabia ao GFARG, ficou por pegar. Pelo mesmo motivo, a entrega de troféus ficou adiada para a terceira corrida da feira.

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2018 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.