Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Abertura da Temporada de 2013 em Setúbal

Noite muito agradável a nível artístico na "Carlos Relvas"
07 de Julho de 2013 - 15:05h Crónica por: - Fonte: - Visto: 1165
Abertura da Temporada de 2013 em Setúbal

Sábado, 06 de Julho de 2013, Monumental Praça de Toiros “Carlos Relvas” em Setúbal, 1ª. Grande Corrida dos Bombeiros Voluntários de Setúbal, primeira corrida da temporada de 2013.

Noite bastante agradável de temperatura depois de ter estado um dia de calor abrasador, sendo esta cidade uma das mais quentes ontem. A lotação registou cerca de meia casa forte, muito aquém das expectativas em redor do cartel que a Empresa Aplaudir montou e com bastante antecedência divulgou junto dos aficionados.

Quem se deslocou ontem à referida praça de toiros, pôde presenciar uma agradável noite de toiros, com momentos muito bons de toureio, boas pegas e boas recolhas de toiros por uma dupla de campinos maravilhosa.

Com pontualidade o Delegado do IGAC, deu início à corrida, tendo lugar as Cortesias e durante as quais foi feito um minuto de silêncio em memória do Senhor Isidoro Maria de Oliveira, Representante da Ganadaria dos Herdeiros de Alberto Cunhal Patrício.

Luis Rouxinol abriu praça lidando o primeiro toiro da noite, um exemplar de boa apresentação, com o peso de 510 quilos de pelagem preta listão, bragado meano (negro liston bragado corrido), cravou três ferros compridos, de boa colocação e execução com destaque para o primeiro da série. Nos curtos cravou quatro ferros igualmente de boa execução e colocação, sendo o quarto em sorte de violino, a pedido do público cravou mais um ferro neste caso uma de palmo ou palmito, igualmente muito bom. Esteve bem a lidar e a bregar cuidando bem das sortes antes  depois de cravar os ferros. Atuação de muito bom nível.

Coube ao Grupo de Forcados Amadores do Ribatejo pegar este toiro, sendo cara o cabo do grupo João Machacaz, que se fechou bem à segunda tentativa com uma boa ajuda dos restantes sete elementos em praça. Executou uma dura e rija pega. No final deu volta com o cavaleiro.

Sónia Matias, lidou o segundo toiro da noite, preto de capa com o peso de 596 quilos, sendo este o exemplar mais pesado da corrida. Sónia cravou dois ferros compridos, o primeiro foi de boa nota e colocação. Passou para a série dos curtos e cravou quatro ferros ou bandarilhas, de boa colocação e execução. Executou uma agradável lide.

Ao Grupo de Forcados Amadores do Montijo, coube pegar este segundo toiro, sendo  cara Hélio Lopes que se fechou à segunda tentativa, também numa rija e dura pega tendo aqui a ajuda dos restantes elementos em praça.

Filipe Gonçalves, lidou o terceiro toiro da noite de capa preto com o peso de 570 quilos, cravou dois bons ferros compridos. Nos curtos cravou uma série de cinco ferros de colocação e execução, com destaque para o primeiro, quarto e quinto ferros da série, sendo os dois últimos em sorte de violino. Executou uma agradável lide.

Pelo Grupo do Ribatejo foi escolhido para pegar este toiro o forcado João Guerreiro, que só se fechou à quinta tentativa numa sorte chamada “Sesgo”, ou como na gíria e diz todos em molho e fé em Deus. Não é de todo a melhor solução para pegar um toiro, dado que esta sorte encurta o espaço de manobra ao toiro e não tem tanto brilho como uma pega de caras normal ou de cernelha. Mas respeitamos as opções do forcado e do cabo neste tipo de pegas.

Luis Rouxinol, lidou o quarto toiro da noite com o peso de 572 quilos, de pelagem preta. Cravou uma série de dois bons ferros compridos. Na série dos curtos cravou três ferros de boa colocação com realce para o segundo. Terminou a sua atuação com um par de bandarilhas de excelente execução, numa arriscada sorte passando por terrenos bem apertados. Agradável atuação não tão brilhante como a primeira, pois teve um toiro pela frente menos colaborador que o seu primeiro

Para pegar este toiro foi à cara o forcado Isidoro Cirne do Grupo do Montijo, só conseguiu concretizar a sorte à quarta tentativa e igualmente em sorte de “Sesgo”

Sónia Matias, lidou o quinto toiro da noite de pelagem preto com o peso de 540 quilos. Nos compridos esteve muito bem a preparar as sortes e a lide deixando dois bons ferros, passou para os curtos e cravou uma série de quatro bons ferros com realce maior para o terceiro ferro. A pedido do público cravou um ferro de palmo e a finalizar o seu labor ainda cravou mais um ferro curto em sorte de violino, também este muito bom. Atuação muito agradável desta Cavaleira que uma vez mais não deixou por mãos alheias a sua garra e o seu valor.

Pelo Grupo do Ribatejo foi à cara deste toiro o forcado Igor Varela, que se fechou à barbela à primeira tentativa, executando um duríssima e valente pega.

Filipe Gonçalves, lidou o sexto e último toiro da noite de pelagem preto, com o peso de 590 quilos. Cravou uma série de dois ferros compridos com destaque para o primeiro. Nos curtos cravou cinco ferros curtos, com destaque para o quarto. A pedido do público cravou um quinto ferro de muito boa nota. Atuação bastante agradável deste cavaleiro, embora esta sua atuação não tenha atendido o nível da primeira.

Para pegar este toiro foi à cara do mesmo o forcado Ricardo Almeida, do Grupo do Montijo, que executou uma rija e dura pega com boa ajuda do grupo, ao primeiro intento.

Uma palavra de apreço para as quadrilhas de bandarilheiros, que também não tiveram uma noite fácil na brega e excução dos lances de capote sempre que lhes competia intervir.

Os toiros foram recolhidos, pelos campinos João Inácio “Janica” da Casa dos Herdeiros do Dr. António Silva e “Café” da Casa de David Ribeiro Telles, os quais mostraram bom trabalho de campo, pois estiveram sempre muito bem na recolha dos toiros, recolha desta feita sem qualquer intervenção de um bandarilheiro com o capote.

O Curro de toiros que veio da Herdade Monte do Ferrador onde pasta o efetivo, estavam muito bem apresentados e cumpriram na generalidade. Houve toiros com muita nobreza, e outros qua acusaram alguma mansidão. Não foram todos muito fáceis de lidar e de pegar, mas os Artistas que diante destes estiveram, procuraram dar o seu melhor de forma a que o seu empenho e labor fosse do agrado geral dos espectadores. Um curro digno de estar presente em qualquer Praça de Toiros de 1ª. Categoria no Planeta Taurino.

Foi muito agradável ver a forma com estes dois campinos conduziram e recolheram os cabrestos e os toiros de volta aos curros no final de cada pega. Foi merecidíssima a sua chamada à arena pela Cavaleira Sónia Matias, quando volta ao redondel após a lide do quinto toiro. Estão ambos de PARABÉNS.

A equipa do Taurodromo.com quer aqui deixar expresso o agradecimento pela forma cordial como é recebida em todas as praças da Empresa do Senhor João Pedro Bolota, bem como pelo Senhor Luis Carlos, responsável pela reserva de bilhetes.

Dirigiu a corrida o Delegado do IGAC, o Senhor Nuno Nery.

Abrilhantou a Corrida a Banda da Sociedade Filarmónica 1º. de Dezembro de 1854 do Montijo, que tocou Pasodobles como Joselito Bienvenida, Campanera, Puerta Grande, Torero Cale, Nerva, Paquito Chocolatero,  entre outros.

Como nota final deixo aqui o comentário sobre a presença um ano mais em Setúbal, da “PAN”, uma Associação Protetora dos Animais, que quiseram mostrar o seu desagrado pela realização de Corridas de Toiros.

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.