Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Última Corrida no Montijo soube a triunfo a Gilberto Filipe

Encerramento da Temporada na Praça do Montijo
28 de Outubro de 2013 - 21:15h Crónica por: - Fonte: Taurodromo.com - Visto: 2317
Última Corrida no Montijo soube a triunfo a Gilberto Filipe

Pouco passava das 16 horas e 30 minutos quando o Delegado do IGAC Senhor Pedro Reinharth, deu ordem para começar a Corrida de Toiros, que estava anunciada para a tarde de ontem, Domingo 27 de outubro de 2013, na Monumental Praça de Toiros “Amadeu Augusto dos Santos” no Montijo.

Corrida de encerramento da temporada, com um aliciante cartel, mas muito pouco público levou às bancadas dos vários setores desta praça. O cartel estava composto pelos cavaleiros de alternativa António Telles, Rui Fernandes e Gilberto Filipe, dois Grupos de Forcados Amadores do Montijo comandados por Ricardo Figueiredo e de Alcochete comandados por Vasco Pinto, e um curro de toiros oriundo da Herdade da Machoa e propriedade Engº Luis Rocha, curro remendado com um exemplar da Ganadaria alentejana de Santiago.

António Teles lidou o primeiro toiro da tarde com o peso de 510 quilos, diante deste toiro que foi o melhor exemplar da tarde, o cavaleiro da Torrinha esteve em muito bom plano, tendo executado uma boa brega, e cravando bons ferros, com alguns a merecerem relevância pela qualidade da cravagem e pelos bonitos momentos de reunião após a cuidada brega.

Diante do quarto toiro, um exemplar da Ganadaria de Santiago, de capa Flava e com o peso de 445 quilos, pouco ou nada pôde fazer devido à mansidão deste exemplar que em nada colaborou, pelo que somente pôde cravar dois ferros compridos e dois curtos.

Rui Fernandes, lidou o segundo toiro que pesou 450 quilos, um exemplar também pouco colaborador para com o cavaleiro da Charneca da Caparica, mas que mesmo assim conseguiu uma atuação bastante interessante, cravando alguns bons ferros.

Perante o quinto toiro, com o peso de 525 quilos, o exemplar mais pesado da tarde e também este pouco colaborador com o cavaleiro, que muito pouco de bom pôde fazer diante do mesmo, mas que mesmo assim deixou alguns bons ferros.

Gilberto Filipe, lidou o terceiro toiro da tarde com o peso de 480 quilos, diante deste exemplar teve uma agradável atuação, cravando ferros de muito boa qualidade, e chegando com facilidade junto de uma determinado setor, pelo que foi o cavaleiro mais ovacionado da tarde.

Perante o sexto exemplar da tarde, um toiro com o peso de 440 quilos, uma vez mais este cavaleiro soube entender as características do exemplar que tinha por diante, exemplar menos colaborador que o seu primeiro, e assim teve uma segunda agradável atuação.

No que diz respeito às pegas e às respetivas atuações dos dois grupos, podemos dizer que não tiveram uma tarde muito fácil, pois os seis toiros em praça, foram toiros pouco colaboradores com os forcados em praça.

Pelo Grupo da terra e por conseguinte o mais velho em termos de antiguidade foram caras, os forcados Hélio Lopes que se fechou bem à primeira tentativa à barbela, Ricardo Parracho, fechou-se bem à segunda tentativa e à barbela, perante o quinto foi cara de início Isidoro Cirne que nas duas tentativas que fez não conseguiu pegar o seu oponente, e depois os colegas escolhidos pelo cabo para pegarem este toiro de cernelha não o conseguiram e não estiveram bem, pois nas tentativas que tiveram não conseguiram pegar o toiro, pelo que o mesmo recolheu aos curros sem ser pegado. Aqui foi o desnorte por parte de alguns forcados que queriam de qualquer forma pegar um toiro que tinha muita força, peso e sentido. Atitudes que deram origem a que o Delegado do IGAC solicitasse a intervenção dos Agentes da PSP de serviço em praça para ficarem com a identificação de alguns forcados.

Pelo Grupo de Forcados de Alcochete, foram caras os forcados, António Cardoso, fechou-se bem à segunda tentativa à barbela, Tomás do Vale, fechou-se bem à barbela e à primeira tentativa, e por fim Tiago Domingos fechou-se bem à barbela e à primeira.

Os seis toiros estavam bem apresentados, embora na maioria denotassem bastante falta de bravura, com exceção para o primeiro da tarde.

Uma palavra de apreço para os campinos que atuaram nesta tarde, os quais estiveram sempre muito bem na condução e maneio dos cabrestos nos momentos da recolha dos toiros. Tiveram igualmente um brilhante desempenho durante as tentativas dos forcados em praça para pegarem o quinto toiro de cernelha, pois conseguiram por mais de uma vez que o toiro encabrestasse por mais de uma vez.

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.