Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Sol e Toiros na Palha Blanco

Tarde de calor em Vila Franca de Xira, com um curro de toiros a pedir contas a toureiros e forcados. Ana Batista, Brito Paes e Marcelo Mendes, foram aqueles que obtiveram um resultado de maior destaque.
05 de Maio de 2014 - 23:37h Crónica por: - Fonte: Taurodromo.com - Visto: 2240
Sol e Toiros na Palha Blanco

Tarde de calor em Vila Franca de Xira, com um curro de toiros a pedir contas a toureiros e forcados e com a Palha Blanco vestida de público, que preencheu pouco mais do que um quarto de casa.

Um cartel que prometia Salgueiro e a alternativa de Nelsón Limas. Salgueiro suspendeu na véspera a temporada, Limas fracturou o pé e apareceram em sua substituição Brito Paes e Marcelo Mendes.

Certo é, que com mais, ou menos, atribulações na composição do cartel, a corrida resultou interessante, com um curro de toiros que não facilitou e com actuações diversas por parte dos intervenientes. Ana Batista, Brito Paes e Marcelo Mendes, foram aqueles que obtiveram um resultado de maior destaque.

Só que mais uma vez foi a forcadagem quem levou a melhor. Os amadores de Vila Franca varreram ao primeiro intento e estiveram taco-a-taco com os de Coruche, que na última da tarde fecharam ao segundo intento.

Iniciou a tarde Sónia Matias diante de um negro, muito bem apresentado, feito de 495Kg de peso. Sónia efectuou uma lide com mais momentos baixos do que altos. Recebeu música ao primeiro curto numa sorte aliviada. Falhou um ferro e foi apanhada no terceiro, diante de um oponente que mediu as arrancadas, empregou-se na reunião e acabou reservado em tábuas.

Ana Batista enfrentou um Veiga Teixeira negro, listão de 510Kg, nobre e que exigiu intromissão de terrenos. Surgiu codicioso de saída, empregou-se nos capotes, perdeu por duas vezes as mãos e depois esteve no resto da lide a denotar escassez de força. A cavaleira de Salvaterra iniciou funções a dar vantagens, mas de imediato percebeu o que tinha por diante. Encurtou terrenos e aguentou as investidas nos três primeiros curtos, nos médios e cravou com exactidão as sortes. Deveria ter escutado banda logo na primeira, mas foi com idêntica sorte e resultado, no terceiro curto, que lhe foi reconhecido o mérito por parte do inteligente. Ainda colocou mais um curto, e saiu triunfadora da corrida. Preparou sempre o oponente para as sortes e rubricou uma actuação prometedora.

O terceiro da corrida, também negro de pelagem, surgiu com pata na Palha Blanco, com 500Kg de peso. Brito Paes tem dois momentos distintos na sua actuação. Até a música soar esteve exímio na brega, onde mexeu com o hastado e cravou três curtos de nota elevada, variando os terrenos e partindo após as investidas do oponente. Após a banda iniciar funções, as sortes não tiveram o mesmo resultado. Ousou colocar um violino no final, mas ao deparar-se com a qualidade intacta do hastado, emendou para nova sorte frontal. António Brito Paes, que substituiu Salgueiro à última hora, efectuou uma lide em que marcou pontos em Vila Franca de Xira.

Paulo Jorge Santos recebeu o mais leve da tarde. O exemplar Veiga Teixeira tinha 440Kg e apareceu tocado no posterior direito. Com o oponente a defender-se, Paulo Jorge Santos teve de pisar terrenos de compromisso e recebeu toques e empurrões do oponente. A lide resultou sem brilho e Paulo Jorge Santos recusou dar a volta.

O quinto da tarde tinha 480Kg, foi nobre, bravo e saiu com chispa. Marcelo Mendes levou-o na garupa durante duas voltas ao ruedo e negou o auxílio de toques da sua quadrilha. Se nos primeiros curtos as sortes não resultaram brilhantes, tudo mudou quando surgiu em praça com o Único. Passou a pisar terrenos de maior compromisso, cravando com acerto e ladeando na cara do oponente, com as bancadas a aplaudirem ruidosamente e com gosto. Marcelo tirou proveito do oponente e rubricou uma actuação sólida na Palha Blanco.

Jacobo Botero não se intimidou por saber calhar-lhe um oponente sério, com muita presença. Ordem dada para a saída da quadrilha. Esperou nos médios. Viu o oponente sair disparado e efectuou uma sorte de gaiola junto a tábuas. Com pormenores interessantes, o resto da lide não teve o mesmo brilho, até terminar a actuação com uma rosa.

Na forcadagem, os Amadores de Vila Franca e de Coruche, bateram-se durante toda a tarde para que cada um dos grupos fosse o triunfador máximo. Com a decisão a ser ganha por Vila Franca, mesmo na última da tarde, fechando-a com 3 pegas ao primeiro intento.

Abriu a tarde para os Amadores de Vila Franca de Xira, Pedro Castelo. Após enfiar o barrete e quando preparava o cite, o hastado arrancou de pronto e fechou-se na córnea à primeira tentativa. Bruno Casquinha também se fechou à primeira na córnea, numa pega perfeita e numa viagem nobre até ao grupo. Márcio Francisco também consumou ao primeiro intento, numa reunião rija, sentando-se na cara do toiro e com o grupo a fechar com qualidade.

José Marques pelos Amadores de Coruche consumou na córnea ao primeiro intento, após citar com toureria e com o grupo a revelar-se coeso e pronto. José Sousa reuniu de forma rija à barbela, com o oponente a derrotar com violência e atravessar o primeira e as segundas ajudas. Passou para a córnea, com as terceiras ajudas a fixarem José Sousa na cara do oponente e com todo o grupo a consumar de imediato. Fechou a tarde Ricardo Dias ao segundo intento, na córnea e com um fundamental primeiro ajuda.

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.