Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Tradidicional Corrida do Fogareiro encerra Feira Taurina

Empresa trás à Moita Ganadaria espanhola com 75 anos
20 de Setembro de 2014 - 13:53h Crónica por: - Fonte: Taurodromo.com - Visto: 1515
Tradidicional Corrida do Fogareiro encerra Feira Taurina

Com cerca de três quartos fortes da lotação preenchidos e numa noite fresca com alguns escassos pingos de chuva, realizou-se ontem Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, na Praça de Toiros "Daniel do Nascimento" na Moita, a Tradicional Corrida de Toiros do Fogareiro.

Corrida com um cartel montado com seis Cavaleiros de alternativa e uma Cavaleira praticante, dois Grupos de Forcados Amadores e um Curro de Toiros de uma Ganadaria de Prestigio espanhola.

No início das Cortesias, foi feita homenagem por parte da Empresa ao Bandarilheiro e Diretor de Corrida Manuel Jacinto, que ontem comemorava quarenta anos de alternativa como Bandarilheiro Profissional.

Na primeira parte da corrida atuaram os cavaleiros mais antigos de alternativa:

Joaquim Bastinhas, foi o primeiro cavaleiro a abrir praça e por conseguinte a atuar nesta noite, brindou a sua lide ao homenageado da noite Manuel Jacinto. Ditou o sorteio que lidasse o toiro de pelagem diferente dos restantes exemplares, com o peso de 530 quilos, número 21, quatro anos de idade e com a capa ou pelagem "Berrendo em Negro" desiganação em espanhol e "Aparelhada" em português, um lindo exemplar a abrir praça. O Cavaleiro brindou o conclave com uma agradavel e variada lide e brega, cravou dois bons ferros compridos em sorte à tira, com destaque para o segundo, pois o primeiro ficou ligeiramente descaído, mas sem tirar brilho ao caveleiro. Na ferragem curta cravou quatro ferros bons com destaque para os três últimos, cravou depois um ferro de palmo ou palmito, e por fim a pedido insistente do público cravou uma grande par de bandarilhas a duas mãos em sorte arriscada por dentro ou entre trincheira e toiro. Atuação de nível e classe deste grande cavaleiro de Elvas, diante de um toiro que veio de mais a menos.

Luis Rouxinol, foi o segundo cavaleiro da noite e igualmente brindou a sua lide ao homenageado, pelo sorteio lidou o toiro da noite mais pesado da primeira parte com o peso de 600 quilos, com o número 19, com quatro anos de idade e a capa ou pelagem Preta. Deu início ao seu labor cravando três ferros compridos à tira com destaque para o primeiro e terceiro, pois o segundo ficou descaído. Na série dos curtos cravou três ferros com destaque para os dois primeiros que foram muito bons, depois cravou  um par a duas mãos de belo efeito, e a pedido do público cravou mais um ferro desta feita um ferro de palmo. Atuação muito agradável do cavaleiro das Faias-Pegões perante um toiro com algum defeito de visão e manso.

Sónia Matias, brindou a sua lide ao Empresário João Pedro Bolota e a seu pai Possidónio Matias, ditou o sorteio que lidasse um toiro com o peso de 580 quilos, número 17 e de capa ou pelagem Preta, começou por cravar dois ferros compridos muito bons, na série dos curtos cravou quatro ferros com destaque para os três últimos que foram muito bons e cravados nos médios, posteriormente cravou um belissimo ferro em sorte de "Violino", o público insistentemente pediu para cravar mais um ferro e quis também cravar na mesma sorte que o anterior ficando este muito descaído, pois ficou junto à mão direita do toiro, há que saber sair na hora certa e nem sempre ir atrás dos pedidos insistentes do público, pois mais um ferro pode borrar a pintura ou seja pode tirar brilho a uma atuação, mas uma vez mais o público pediu insistentemente para cravar mais um ferro, e desta feita com mérito cravou mais um grande ferro em sorte de "Violino". Grande atuação desta Cavaleira de Lisboa.

Seguiu-se um intervalo de dez minutos, para no interior da praça e junto ao Setor 2, ser descerrada uma placa comemorativa dos quarenta anos de alternativa do Bandarilheiro Manuel Jacinto.

Segunda parte da corrida:

Gilberto Filipe, Cavaleiro  da Atalaia, brindou a sua lide a um grupo de aficionados e amigos, ditou o sorteio que lidasse o quarto  toiro e o mais pesado da corrida, com 630 quilos, o número 47 e a capa ou pelagem Preta. Deu início ao seu labor cravando dois bons ferros compridos à tira, na série dos curtos cravou quatro ferros com destaque para o segundo e quarto de qualidade muito boa, posteriormente cravou um ferro de palmo e por fim e a pedido do público cravou um ferro em sorte à violino muito bom, foi uma grande atuaçao deste cavaleiro a abrir a segunda parte ou metade da corrida, estando assim em plano de triunfo. 

Felipe Gonçalves, Cavaleiro do Algarve, brindou a sua lide a um jovem aficionado e familiar do cavaleiro Rui Fernandes, por sorteio lidou o quinto toiro com o peso de 550 quilos, número 13 e de capa ou pelagem Preta. Deu início à sua atuação cravando dois ferros compridos com destaque para o primeiro, pois o segundo ficou descaido. Na série dos curtos cravou quatro ferros de belo efeito com destaque para os dois últimos, a pedido do público cravou um bom par de bandarilhas e por fim um ferro de palmo. No final da sua atuaçao e ao dar a volta à arena na companhia do forcado e sua quadrilha, convidou o ganadeiro para dar a volta à arena e assim também receber os apausos do público. Mais uma grande atuação deste cavaleiro que muito agradou ao público presente.

Manuel Lupi, cavaleiro da Barroca d´Alva, e que regressou esta temporada às arenas, por sorteio lidou o sexto toiro da corrida com o peso de 560 quilos, número 15 e de capa ou pelagem Preta. Começou o seu labor cravando dois ferros compridos com destaque para o primeiro, uma vez que o segundo ficou descaído. Na série dos curtos cravou cinco ferros com realce para o segundo que foi o de maior nota, embora tambnem os restantes tenham sido bons. Brindou a assistência com uma atuação muito agradável. Está em boa forma e é mais xcavaleiro que gostariamos de ver atuar mais vezes nas nossas arenas.

Mara Pimenta, Cavaleira Praticante, como já vem sendo habitual nas suas intervenções ou atuações, lidou um toiro da Ganadaria Passanha com o peso de 465 quilos, número 65 e de capa ou pelagem Preta. Iniciou a sua atuação cravando dois bons ferros compridos à tira. Na série dos curtos cravou cinco ferros muito bons e bem cravados com destaque para três primeiros e quinto. De corrida para corrida vem melhorando o nível das suas atuações, com mais brilho, mostrando raça, entrega e classe e bom gosto pelo toureio a cavalo, temos aqui uma grande promessa do toureio, que bem merece mais oportunidades para atuar nas nossas praças.

As pegas dos sete exemplares lidados esta noite estiveram a cargo dos prestigiados Grupos de Forcados Amadores de Santarém comandados por Diogo Sepúlveda e Amadores de Alcochete comandados por Vasco Pinto, dois cabos jovens e grande forcados.

Pelo Grupo de Forcados Amadores de Santarém pegaram:

João Torres Vaz Freire, executou uma boa pega à córnea e à primeira perante o primeiro toiro da noite;

David Inácio, pegou à terceira o terceiro toiro da noite;

Ruben Giovani, executou uma rija e dura pega à primeira perante o quinto toiro da noite;

António Goes deu por terminada a intervenção do Grupo, pegando bem à segunda o sétimo exemplar da noite.

Pelo Grupo de Forcados Amadores de Alcochete foram forccados da cara:

Bruno Santana, pegou o segundo toiro executando uma grande pega à primeira tentativa;

Tomás Vale, pegou o quarto toiro à primeira e executando uma grande pega, sendo bem ajudado pelos restantes sete elementos em praça;

Pedro Belmonte, pegou o sexto bem à primeira

Quando numa corrida se lidam e pegam exemplares em número ímpar como neste caso, pode o Grupo mais antigo pegar o último exemplar, ou por cortesia convidar o segundo grupo a ceder alguns elementos e assim pegarem o último toiro da corrida em conjunto. 

O curro de toiros da Ganadaria de Benítez Cubero, cujo efetivo pasta na Herdade de "Los Ojuelos" em Marchena-Sevilha, estavam muito bem apresentados quanto a peso peso e idade, foram nobres cumprindo na generalidade com com destaque para três toiros que foram o terceiro, quarto e quinto, o menos bom foi o segundo da noite. Parabéns ao Ganadeiro pelo excelente Curro de Toiros que apresentou numa das mais castiças Praças de Toiros de Portugal.

Os campinos da Casa Agrícola do Engº. José Samuel Lupi estiveram bem no maneio, e condução dos oito cabrestos na hora de recolherem os toiros.

Dirigiu e bem a corrida um Delegado do IGAC, assessorado por uma Médico Veterinário e por uma Senhora cornetim.

A Corrida foi abrilhantada com a actuação da Banda de Música da Sociedade Imparcial 15 de Janeiro de 1898, que interpretou Pasodobles como Banda de Alcochete, Torero Calle, Ayamonte, Amparito Roca, Anjudar, "Al Litri", Gracia Espanhola, "Recuerdos de Mondariz, Paquito Chocolatero, "Manolete", Manuel dos Santos, Plaza de la Maestranza, e muitos outros mais.

Uma palavra de agradecimento para a Empresa Aplaudir, pela amável forma como recebeu uma vez mais a Equipa que representou o site Taurodromo.com

 

 

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.