Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2018
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Triunfo de António João Ferreira

Noite de afirmação do toureio apeado, com triunfo de António João Ferreira, no Campo Pequeno
05 de Agosto de 2018 - 18:21h Crónica por: - Fonte: Sónia Batista - Visto: 691
Triunfo de António João Ferreira

 

O Campo Pequeno abriu portas para receber uma corrida com um cartel especial.

Duas cavaleiras e dois matadores de touros que trouxeram a lotação de meia casa fraca, à praça do Campo Pequeno, mas principalmente serviu para afirmar a boa saúde do toureio apeado em Portugal.

Os touros de São Torcato sairam com trapio, encastados, sérios, destacando-se o quinto touro  de seu nome Carteiro, o qual premiou o ganadero  Joaquim Alves, com  uma volta ao ruedo. Os touros tinham os pesos de 564, 457, 458,496, 510, 530, 552 kg, segundo a ordem de lide.

Primeiramente, procedeu-se à Homenagem, por parte dos alunos da Academia do Campo Pequeno, ao seu professor, o matador António João Ferreira, pela celebração dos seus dez anos de Alternativa, cumpridos a 22 de Julho.

Como dita o regulamento, iniciou-se com o toureio a cavalo e neste no caso com lide a dúo, entre Ana Batista e Sónia Matias, na qual vimos Ana Batista em plano superior e na qual não foi autorizada volta às cavaleiras.

Perante uma indisposição de Sónia Matias, Ana Batista, tomou as rédeas desta noite e não defraudou. Dos dois touros que toureou em solitário esteve melhor com o 4º touro da noite, evidenciado todo o seu conceito clássico e vistosa brega.

Esteve também enorme com o primeiro curto ao pitón contrário, cravado ao último touro da noite, marcando também a sua posição na Tauromaquia Portuguesa.

O Grupo de Forcados Amadores das Caldas da Rainha, optaram por duas pegas de caras e uma de cernelha; assim sendo tivemos Francisco Mascarenhas a consumar à primeira tentativa, António Cunha a dobrar Lourenço Palha e a consumar à segunda tentativa.

A cernelha foi realizada por Duarte Palha e José Maria Abreu.

Os grandes momentos de emoção estiveram a cargo dos matadores Antonio João Ferreira e Nuno Casquinha.

Com "ARTE" podemos descrever a lide de António João Ferreira e com "VALOR" a lide de Nuno Casquinha, pois Casquinha continuou a tourear debilitado pela forte voltareta que lhe conferiou o segundo touro do seu lote. 

Apesar da entrega de ambos, António J. Ferreira, destacou-se, na noite de celebração da sua década de alternativa.

Aspecto este que não é de estranhar porque António J. Ferreira é um toureiro de pura inspiração e estilo purista, que soube beber da Tauromaquia portuguesa, espanhola e francesa, comprovando a sua maturidade técnica destes 10 anos passados nas temporadas pela América Latina, Espanha, França e Portugal.  Ferreira comprovou mais uma vez a sua qualidade e alertou, de que já é hora, de confirmar a sua alternativa em Las Ventas, ruedo este que pisou por várias vezes de novilheiro e já é hora de voltar.

Com o primeiro do seu lote, um touro que pedia contas, e perante os sonantes “olés” vindos dos tendidos, tivemos António J. Ferreira, a dibujar bonitas verónicas com remate de meia verónica com muita classe.

Na muleta continuou muito entregue na lide e brilhou com uma série de profundos derechazos. Com a mão esquerda, prosseguiu em boa nota, numa faena de entrega e risco.

Mas foi ao quinto touro que Deus brindou o matador, com um regalo por estes dez anos de entrega ao Toureio.

Carteiro de seu nome, entrou com a matéria para Ferreira, desenhar uma faena para a memória!!!

Verónicas, Chicuelinas e revoleras de "puro arte" para seguir numa simbiose total na muleta, resultando numa faena redonda e cheia de temple.

 Este esplendido touro foi bandarilhado de forma vistosa, por João Martins e João Ferreira.

 

Nuno Casquinha, com muita raza toureira, realizou duas faenas também com muita entrega e inclusive bandarilhou os seus dois touros, agradando bastante o público.

Na sua primeira actuação, vimos Casquinha em melhor plano, que na segunda; com verónias rematadas de meia.

Na flanela rubra, vimo-lo a tourear por ambos os pitóns com muita entrega. Entrega essa que lhe valeu nos momentos de apuro, provocados pela voltareta, no segundo touro do seu lote.

Sobre essa lide, resumo como uma lide díficil, mas com uma entrega total do matador, que diminuido fisicamente, entregou-se com raza e toureou por ambos os pitons, comprovando o dizer taurino "Los Toreros son hechos de otra pasta"

Noite, sem dúvida para ficar na memória e de afirmação dos nossos matadores, dirigida por Pedro Reinhardt e assessorado pelo médico veterinário Jorge Moreira da Silva.

 

 

Foto de Sofia Almeida

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2018 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.