Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Porta Grande de Despedida para Juan José Padilla

Crónica da Corrida de Despedida de Padilla à Afición Portuguesa
23 de Setembro de 2018 - 22:55h Crónica por: - Fonte: Sónia Batista - Visto: 552
Porta Grande de Despedida para Juan José Padilla

 

Porta Grande de despedida, no Campo Pequeno, foi a prenda que o público português deu a Juan José Padilla.

O público encheu a praça e foi generoso com o herói pirata que se despediu na passada quinta-feira da afición portuguesa.

Padilla, realizou duas lides distintas aos touros de Varela Crujo, mas ambas com o mesmo resultado! Duas orelhas em cada…afinal era noite de despedida e o público foi quem mais ordenou.

Se foi justa ou não, a porta grande, as cornadas com gravidade e as mazelas graves também não foram justas…nunca são…

Com o primeiro touro Varela Crujo, começou o tercio de capote, com uma larga afarolada de joelho e seguiu com uma verónica rematada de meia seguindo para navarras com remate de revolera. Com a muleta andou profundo em algumas tandas com a direita.

Esta noite o medo chegou ao publico, ao Padilla ter sofrido uma voltareta mas sem gravidade, quase no final da lide.

Com o último touro da noite, Padilla executou uma lide intermitente ao manso que teve pela frente.

Não se luziu no capote, na muleta apenas duas series de alto nível de derechazos rematados de peito e muito abaniqueo.

Destacou-se João Ferreira que saiu na quadrilha de Padilla, desmonterando-se sobre forte ovação e fazendo com que o público se reconcilia-se com o matador, porque o público queria que Padilla bandarilhasse e o matador não o fez, em nenhum dos tércios de bandarilhas.

 

João Moura Caetano, soube meter risco nas suas duas actuações perante os exemplares da ganadaria Vinhas, citando a curta distância e aguentando-se na cara do touro até ao milésimo de segundo possível.

Duas tiras nos compridos para nos curtos optar por marcações ao pitón contrário. Destacou-se na terceira e quarta bandarilha.

O quarto touro já não lhe permitiu a mesma qualidade na lide, mas ainda assim conseguiu marcar ao pitón contrário, varias vezes.

Duarte Pinto pautou as suas actuações com sortes de poder a poder e foi fortemente aplaudido. Foi um Hino ao clássico e à verdade do toureio à portuguesa.

Sobre a prestação do Grupo de Forcados de Santarém, António Toureiro consumou à 1ª tentativa e Ruben Giovety com dificuldades, a consumar à 7ª tentativa. Pelos Forcados Amadores de Montemor, João Camâra à 1ª com uma pega vistosa e Francisco Bissaya Barreto consumou à 2ª tentativa.

 

Foto Sofia Almeida

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2018 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.