Quarta-feira, 29 de Março de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Pedro Coelho dos Reis do Aposento da Chamusca - "...ao longo da temporada uma grande amizade entre todos os elementos"

Pedro Coelho dos Reis, cabo do Grupo de Forcados Amadores do Aposento da Chamusca, falou com o Taurodromo.com e fez o balanço da temporada 2011 do grupo.
13 de Dezembro de 2011 - 11:48h Entrevista por: - Fonte: - Visto: 1763
Pedro Coelho dos Reis do Aposento da Chamusca -

Pedro Salgueiro Coelho dos Reis é médico veterinário de profissão e é o cabo do Grupo de Forcados Amadores do Aposento da Chamusca desde o dia 04 de Julho de 2011, recebendo o testemunho do anterior cabo, Tiago Prestes.

Na época que terminou, o grupo percorreu 6.584 Km's, pegou 34 toiros em 42 tentativas e completou 27 anos de actividade.

 

Tauródromo - Como considera que correu a temporada 2011 para o grupo?
Pedro Reis - Foi uma época muito importante e positiva para o grupo. Assistimos à mudança de cabo, numa corrida cheia de simbolismo em que o grupo pegou 6 touros na sua terra, com a presença de forcados antigos, forcados actuais e todos os amigos do grupo. O grupo demonstrou ao longo da temporada uma grande amizade entre todos os elementos, que se reflectiu em praça, numa grande coesão nas ajudas e regularidade nas suas actuações.


T - Quais os melhores e piores momentos do grupo na temporada 2011 que gostaria de destacar?
PR - Destaco apenas pela positiva esta nova geração do Aposento da Chamusca, composta de inúmeros forcados, muito novos que pisaram as arenas, com um grande espírito toureiro e uma enorme vontade de triunfar, agarrando as oportunidades e estando em praça com presença e alma toureira.


T - Qual a ganadaria que o grupo mais gostou de pegar na temporada 2011?
PR - A Ganadaria do Engenheiro Ruy Gonçalves.


T - No defeso, há possibilidade de rumar ao estrangeiro para pegar?
PR - Infelizmente não tivemos nenhum convite para pegar no defeso no estrangeiro.


T - A temporada de 2012, será finalmente a temporada com bandarilhas de segurança?
PR - Eu gostaria que assim fosse, pois entendo que o risco da pega deverá estar sempre no touro e não nas bandarilhas ou em outro qualquer factor externo à pega.


T - Na temporada de 2012, prevê-se uma diminuição do numero de corridas a realizar com o acréscimo do valor do IVA. O que espera da temporada de 2012?
PR - Espero que, mesmo com uma diminuição do número de corridas devido à grave crise financeira e social que o país atravessa, o grupo consiga boas actuações nas corridas em que for convidado a pegar, demonstrando um grande espírito de ajuda e coesão, efectuando a pega na sua plenitude dando vantagens ao touro e levando a emoção ao público, assumindo todos os compromissos com muita galhardia e vontade de triunfar, independentemente da arena que se possa pisar.

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.