Quinta-feira, 20 de Julho de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Duarte Pinto - "As actuações tiveram muito impacto na diversa gama de aficionados, eu senti bem isso..."

Duarte Pinto fez um balanço de temporada ao Taurodromo.com.
29 de Novembro de 2012 - 23:38h Entrevista por: - Fonte: - Visto: 1750
Duarte Pinto -

Duarte Soares Rebelo Paes Pinto, Engenheiro Agrónomo, 29 anos de idade, natural de Paço de Arcos, filho de uma figura do toureio e neto de uma estrela do hoquéi em patins.

É cavaleiro de alternativa desde 23 de Julho 2009, onde no Campo Pequeno foi apadrinhado por Luís Miguel da Veiga, Frederico Cunha e José João Zoio.

Tem o sucesso nos genes mas não o busca por qualquer preço. Pratica um toureio de verdade, respeita os fundamentos do toureio e em cada temporada que passa, teima em escalar posições e progredir a qualidade do toureio que expõe em praça.

Este ano protagonizou uma das melhores lides de toda a temporada de 2012, a 3 de Junho em Santarém frente a um exemplar da ganadaria de Ernesto de Castro.


Taurodromo.com (T) - Como considera que correu a temporada 2012?
Duarte Pinto - Considero que correu bastante bem. Tentei dar seguimento e continuidade às últimas 3 épocas que foram de progressão e aumento do nível qualitativo, e penso que o consegui. Tenho vindo a melhorar e a cimentar cada dia mais e luto cada dia para aprender cada vez mais, só assim poderei satisfazer as exigências dos aficionados.

T - Recordo-me de pelo menos uma grande actuação sua, e logo uma daquelas memoráveis, dia 3 de Junho em Santarém diante um bravo exemplar de Ernesto de Castro. Terá sido o toiro que mais gostou de lidar em 2012?
Duarte Pinto - Provavelmente foi. O toiro tinha raça, transmitia, não virava a cara à luta e penso que o entendi. Os cavalos responderam às exigências e consegui uma atuação completa, emotiva e verdadeira. E mais importante que a minha satisfação pessoal foi sentir o impato que essa atuação teve nos aficionados e a importância e relevo do que foi feito.

T - Quais os melhores e piores momentos na temporada 2012 que gostaria de destacar?
Duarte Pinto - O pior momento da temporada foi, depois de uma noite importante no Campo Pequeno a 7 de Junho e 4 dias depois da atuação que falámos anteriormente na feira de Santarém, a lesão do meu cavalo de referência o “Visconde”. Fiquei privado dele durante o resto de toda a época e isso não foi fácil de ultrapassar, nada fácil mesmo. Mesmo assim, penso que com todo o meu trabalho e entrega, consegui maioritariamente ultrapassar e fazer uma época bastante positiva.
Como melhores momentos, e felizmente tive vários, destaco a atuação que referiu anteriormente na feira de Santarém, foi sem dúvida “especial”. A noite de 7 de Junho e a corrida de gala no Campo Pequeno, as corridas na Póvoa do Varzim, na Idanha à Nova e na Lourinhã, nas feiras da Arruda dos Vinhos e em Samora Correia, em Viana do Castelo, o regresso a Santarém e o fecho da época em Salvaterra de Magos foram também momentos importantes na minha época.

T - Depois do triunfo de Santarém, também esteve em plano elevado logo de seguida no Campo Pequeno. Era de esperar que estivesse presente em maior número de espectáculos até ao final da temporada. Sente que os triunfos não são correspondidos em contractos?
Duarte Pinto - Por vezes isso acontece, infelizmente e sem dúvida, mas penso que no meu caso isso não aconteceu. As actuações tiveram muito impacto na diversa gama de aficionados, eu senti bem isso, e deram-me muita a ganhar com isso. Optei este ano, derivado de toda a conjuntura nacional de crise e dificuldades inerentes de todos, diminuir o número de espetáculos ,tentando optar pela qualidade em prol da quantidade e defender assim os meus interesses e ideias.

T - Haverá novidades na quadra que apresentará em 2013?
Duarte Pinto - Espero que sim. Felizmente tenho uma quadra de cavalos que me confere grande segurança e me garante sonhar e ambicionar cada dia mais. E espero, tal como vem sucedendo nos últimos 5... 6 anos, lançar um ou dois cavalos novos na nova época.

T - O secretário de Estado da Cultura demitiu-se, foi substituído e no entanto o novo regulamento taurino tarda em ser aprovado. Como vê o permanente adiar da entrada em vigor do novo regulamento taurino?
Duarte Pinto - Vejo com natural preocupação e apreensão, tal como qualquer verdadeiro e genuíno aficionado. A aprovação do novo regulamento será um passo mais, no meio de tantos outros, para dar força á festa de toiros em Portugal.

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.