Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Noite de promessas no Montijo

A praça de touros Amadeu Augusto dos Santos registou cerca de um quarto de casa, onde se anunciava o concurso de ganadarias, e ainda para a melhor lide e melhor pega.
04 de Setembro de 2017 - 02:28h Notícia por: - Fonte: Taurodromo.com - Visto: 114
Noite de promessas no Montijo

No passado sábado, dia 2 de Setembro, realizou-se a corrida de encerramento da temporada da monumental do Montijo.  A praça de touros Amadeu Augusto dos Santos registou cerca de um quarto de casa, onde se anunciava o concurso de ganadarias, e ainda para a melhor lide e melhor pega.

A corrida a favor dos Bombeiros Voluntários locais, assinalava ainda a passagem do 60º aniversário da sua construção. No inicio da corrida foi guardado um minuto de silêncio, em memória de Albino Bruno, falecido recentemente. O Ti Albino, como era carinhosamente conhecido, foi um dos grandes impulsionadores e fundador do GFAMontijo, e também responsável pela manutenção da praça de touros. Causas a que dedicou a maior parte da sua vida. Em boa hora, e ainda em vida, foi o Ti Albino homenageado, numa corrida realizada esta temporada.

O cartel era composto pelos cavaleiros Marco José, Gilberto Filipe, Parreirita Cigano, Luis Rouxinol Jr., David Gomes, e António Prates, com as pegas a cargo dos Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica do Montijo, Amadores do Montijo, e Amadores de Tomar. Capetaneados por Márcio Chapa, Ricardo Figueiredo, e Marco Jesus, respectivamente.


Por se terem inutilizado nos curros, os touros de Branco Núncio e São Martinho, foram substituídos pelos da ganadaria de Vinhas e Alves Inácio.


A Marco José coube em sorte um exemplar de Varela Crujo Herds., um touro com idade e de boa apresentação. Marco, toureou com bom sentido de lide, cravando bons curtos, e rematando a atuação com um violino e um ferro de palmo. Marco José é um exemplo do que por vezes aqui digo. Um cavaleiro que deveria ter mais oportunidades. Existe trabalho e boas montadas.  Pelo que foi visto e mostrou, é digno de integrar qualquer cartel. Vamos a inovar srs. Empresários.

A “jogar em casa”, Gilberto Filipe andou a gostou, deixando uma boa série de curtos. Frente ao Alves Inácio, que cumpriu, destaque para o terceiro curto do cavaleiro da Atalaia.

Parreirita Cigano, teve em sorte, o mais complicado e maior dos de Alves Inácio, com o qual sentiu algumas dificuldades. Com algumas passagens em falso e toques na montada, depois de ferragem irregular, deixou o quarto curto com valor. Cravando ao estribo como se quer.
 
Luis Rouxinol Jr. acabou por lidar o sobrero da ganadaria Vinha, depois de o Sommer d´Andrade que lhe cabia em sorte, ter sido recolhido, por não estar capaz para a lide. Revelou-se o Vinhas, o melhor touro da corrida, infelizmente, não fazia parte do concurso de ganadarias. O mais novo de Pegões, andou como é seu timbre, com entrega e paixão. A bregar bem, a preparar as sortes como deve de ser, e isso a refletir-se na boa ferragem deixada.Terminou com uma sorte de violino e um ferro de palmo.

O praticante David Gomes veio com ganas, recebendo o seu touro em sorte de gaiola. No de correr da lide foi em crescendo a sua atuação. Deixando alguns curtos de boa nota, sendo de referir o ultimo ferro de palmo, excelentemente executado, e com o qual terminou a sua atuação.

António Prates enfrentou o pior da noite, em nosso entender, o de António Reis, saiu com uma forte crença em tábuas e distraído, sem se entregar. Prates, deixou como pôde os ferros compridos. Nos curtos arrimou-se, foi acima do oponente, e deixou momentos de bom toureio. Com curtos de boa nota e emoção, destaque para o ultimo da série, cravado com batimento ao piton contrário, que empolgou o publico presente.

Noite difícil e dura, teve a rapaziada das jaquetas de ramagens. Touros complicados e a pedirem contas. No entanto o querer e a determinação fez com que a entrega fosse enorme. Assim, foram à cara pelos Amadores da Tertúlia Tauromáquica do Montijo, Luis Carrilho que pegou à segunda tentativa, e Ruben Durão “Pirri”, que foi dobrado por Rodrigo Carrilho. Carrilho pegou ao seu segundo intento.

Gonçalo Costa e João Paulo Damásio, foram os caras do GFA do Montijo, tendo pegado à segunda e terceira tentativas, respectivamente.

Pelos de Tomar, João Oliveira, depois de várias duras tentativas, pegou a sesgo à sexta tentativa, e Helder Parker ao primeiro intento.

Quanto aos prémios em disputa, o júri decidiu atribuir o prémio de apresentação e bravura ao exemplar da ganadaria de Varela Crujo Herds. O prémio da melhor lide foi atribuído ex aequo, a Luis Rouxinol Jr. e António Prates. Helder Parker dos Amadores de Tomar, foi o triunfador da melhor pega da noite.

Corrida dirigida pelo sr. Rogério Jóia, assessorado pelo médico veterinário Dr. Jorge Moreira da Silva e pelo cornetim Ricardo Fernandes.

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.