Domingo, 30 de Abril de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Passagem do 53º. Aniversário da Alternativa de Paco Camino

Recordando um grande Matador de Toiros Espanhol
22 de Abril de 2013 - 20:10h Pedaços de história por: - Fonte: - Visto: 1227
Passagem do 53º. Aniversário da Alternativa de Paco Camino

Hoje trazemos aqui alguns dados da Biografia de uma das maiores Figuras do Toureio a Pé do País vizinho, que recentemente comemorou 53 anos de alternativa de Matador de Toiros.

 

Francisco Camino Sánchez, mais conhecido no meio artístico por Paco Camino “El Niño Sábio”, é natural da localidade de Camas, da Provincia de Sevilha, España, onde nasceu a 21 de setembro de 1941. 

Nos cartéis era anunciado por Paco Camino, desde muito joven viu-se ter arte e qualidades para ser Figura do Toureio como veio a acontecer. Destacou-se na tauromaquia nos anos de 1960 e 1970, sendo considerado o diestro mais completo da sua época em conjunto com o diestro de Salamanca, Santigo Martín “El Viti”.[

Paco Camino teve na quadrilha seu Rafael Camino, o qual o acompanhou durante varias temporadas como Bandarilheiro, sendo seu peão de confiança.

Fez a sua estreia com cavalos, ou melhor dizendo com picadores na Praça de Toiros de Zaragoza a 7 de setembro de 1958, lidando toiros da ganadaria de Escudero Muriel e tendo como seus colegas de cartel o matador portuguésJosé Julio e “Chiquito de Aragón”.

Tomou a alternativa de Matador de Toiros na Momumental Praça de Toiros de Valencia a 17 de março de 1959, tendo como padrinho Jaime Ostos e como testemunha Juan Garcia “Mondeño”. o toiro da cerimónia tinha o nome de «Mandarín» e pertenceu à Ganadaria de Urquijo de Federico. Nessa tarde cortou uma orelha a cada um dos toiros do seu lote.

Confirmou a alternativa na Praça de Toiros de Las Ventas em Madrid a 12 de maio de 1961, durante a Feira de Santo Isidro, sendo seu padrinho Julio Aparicio e como testemunha  José María Clavel, lidou o toiro com o nome de «Espejito» da Ganadaria de Antonio Pérez de San Fernando

Na temporada de 1966 em Espanha toureou 95 corridas de toiros, acabando a temporada em primeiro lugar no Escalafón. Foi seu apoderado a Casa Chopera. Nesse mesmo ano participo una película “Fray Torero”, a qual foi dirigida pelo realizador José Luis Sáenz de Heredia.[4]

Apresentou-se na Praça de Toiros de Acho (Perú) a 29 de outubro de 1967, na Feria del Señor de los Milagros, onde se negou  matar o quinto toiro da tarde,
pelo que por orden do Presidente da corrida passou vinte e quatro horas na prisao.

Ao longo das vinte temporadas em que esteve no ativo como matador de toiros toureou 1.490 corridas cortando 1176 orelhas e 126 rabos. Toureou mais de cinquenta tardes na Monumental Praça de Toiros de “Las Ventas”, cortando 48 orelhas e saindo em ombros pela Porta Grande [4] (sendo o primeiro na história
antes de Santiago Martin “El Viti”). Sofreu cerca de 30 cornadas ou colidas, sendo duas com muito graves, e numa destas foi-lhe dada mesmo os últimos
sacramentos pensando-se na altura que não sobreveviria à gravidade da colhida.

Foi um Toureiro polémico mas um estilista muito apurado no uso e maneio do capote, era igualmente excelente a tourear com a muleta, tinha preferencia em utilizar ou basear o seu toureio pela esquerda. Foi um Matador Clássico, seguro que dava umas Chicuelinas com muita classe. Foi igualmente um Matador bastante conhecedor e entendido nesta materia, inteligente e Super-Dotado.do Toureio.

O seu irmão Joaquim foi igualmente subalterno, fazendo parte da sua quadrilha, e que infelizmente foi colhido de forma mortal por um toiro com o nome de “Curioso” da Ganadaria de Atanasio Fernández. Esta tragedia teve lugar na Monumental Praça de Toiros de Barcelona  a 3 de junho de 1973.

Retirou-se definitivamente das arenas na Praça de Toiros de Valhadolid a 23 de setembro de 1983.

A última vez que se vestiu de traje de luces foi para conceder a alternativa a seu filho Rafael Camino, cerimónia que teve lugar no Coliseu de Nimes (França). Nesta corrida que teve lugar em 1987m tomou igualmente a alternativa de matador “El Litri”, que recebeu a alternativa das mãos de seu pai.

Foi um grande admirador do Maestro Antonio Ordoñez.

Foi-lhe concedida a Medalha de Ouro das Belas Artes no ano de 2005. Ano em que foi submetido um transplante de figado com éxito, tendo estados dois anos em Lista de Espera.

Presentemente dedica-se à sua Ganadaria]

 

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.