Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

Simão da Veiga

Rrelembrar Simão da Veiga, que a par e em competição com João Núncio, marcou um período de mudança no toureio a cavalo, em finais da década dos anos trinta do século passado.
29 de Setembro de 2013 - 10:05h Pedaços de história por: - Fonte: Taurodromo.com - Visto: 3570
Simão da Veiga

São os pequenos pedaços de história que constroem a verdadeira história de uma nação. E neste caso falamos de Portugal, nação com uma história rica, no que ao toureio a cavalo se refere. História, arte, cultura e tradição genuinamente portuguesas.

Na Pátria do toureio a cavalo, alguns houve que sobressaíram entre os demais, criando novos conceitos que nalguns casos mesmo, transformaram-se em “regras” ou pilares de como se devem lidar os toiros a cavalo. Desses, ou com esses conceitos, mutáveis com a própria evolução “dos tempos” e da sociedade, o toureio foi-se aperfeiçoando, mudando, tal como o cavalo e o toiro. Assim temos que recuar um pouco no tempo e recordar alguns desses toureiros que a seu tempo foram figuras e que deixaram “historia (s) e recordações. Assim iremos aqui relembrar Simão da Veiga que a par e em competição com João Núncio, marcou um período de mudança no toureio a cavalo, em finais da década dos anos trinta do século passado.

Numa época em que se falavam dos toiros da seguinte forma: ”o toiro Lisboa de Manoel Corvello Cardoso, com o ferro de Emilio Infante da Câmara, que é muito bravo e conta já doze corridas…”, Simão tinha a destreza para os tourear e impor-se como uma das principais figuras do toureio a cavalo de então. No entanto com a proibição de lidaremse em praça, toiros já corridos noutros espectáculos, Simão da Veiga soube manter a sua áurea de figura, impondo o seu toureio não só em Portugal mas também no País vizinho e no outro lado do Atlântico, por terras da América do Sul, como o México e Venezuela. Simão da Veiga Júnior nasceu na aldeia do Lavre a 22 de Junho de 1903.

Estreou-se em público na praça de toiros de Montemor-o-Novo, na feira de Setembro de 1915. A 4 de Junho de 1922 toma alternativa na praça de toiros do Campo Pequeno, tendo como padrinho seu pai Simão Luís da Veiga. Na temporada de 1927 é o cavaleiro português que mais actuou em Espanha, somando 27 corridas. No México apresenta-se na praça da capital a 2 de Janeiro de 1938. Toureiro respeitado, além fronteiras granjeou o respeito da aficion mexicana, venezuelana, francesa e espanhola.

Manteve sã rivalidade com João Núncio, Canero e Alvaro Domecq y Diez entre outros. Da sua quadra de toureio destacou-se o célebre “Bombita”. Teve residência na vila de Oeiras, onde sedeava a sua quadra (Páteo do Cabrita) e passava alguns períodos do ano. Faleceu a 19 de Agosto de 1959 no hospital das Caldas da Rainha, após ter-se sentido mal, durante o espectáculo de 15 de Agosto, realizado naquela localidade.

Simão da Veiga, um toureiro cujo a fama e popularidade, atravessou fronteiras e continentes, foi um desses grandes e raros toureiros de época, daí seja ainda lembrado e nós o relembrar-mos hoje… e sempre: porque Simão da Veiga foi (é) um dos tais toureiros de sempre.

Imagens de Simão da Veiga

Estreou-se em público na praça de toiros de Montemor-o-Novo, na feira de Setembro de 1915. A 4 de Junho de 1922 toma alternativa na praça de toiros do Campo Pequeno, tendo como padrinho seu pai Simão Luís da Veiga.
27 de Setembro de 2013 - 09:55h Galeria fotográfica por: Manuel Valinhas
Imagens de Simão da Veiga Imagens de Simão da Veiga Imagens de Simão da Veiga Imagens de Simão da Veiga Imagens de Simão da Veiga Imagens de Simão da Veiga Imagens de Simão da Veiga Imagens de Simão da Veiga Imagens de Simão da Veiga
Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2017 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a devida autorização.